Parte amarela em São Paulo são municipios com baixa umidade. Só a região sul e litoral sul não estão incluidas no alerta | Imagem Inpe
A falta de chuva e baixa umidade do ar são características do inverno que favorecem a ocorrência de incêndios. Faz aproximadamente 30 dias que não chove em Botucatu e a região está com baixa umidade relativa do ar, o que facilita o incêndio. Na região de Botucatu, segundo alerta do Instituto Nacional de Meteorologia e Defesa Civil Nacional, a umidade relativa do ar é muito baixa, entre 20% a mínima e 30% a máxima.
Como forma de prevenção, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e a Defesa Civil da Cidade tem realizado a Operação Corta Fogo, uma ação que reúne equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental e brigadistas.
Além do risco de incendio há problemas de saúde: a baixa umidade provoca viroses, doenças nos olhos e agrava problemas de quem sofre com doenças respiratórias crônicas. O problema é agravado com queimadas urbanas e rurais.
“As pessoas ainda tem o hábito de queimar lixo ou quintais sujos, uma prática que além de prejudicar o meio ambiente, faz muito mal a saúde. Por isso pedimos para que a população não tenha esta prática, evite jogar bitucas de cigarro em áreas verdes e também não jogue lixo em local inapropriado. Tudo isso vai nos ajudar na prevenção de incêndios”, explica o Coordenador da Defesa Civil de Botucatu, Marcos Vinícius Leite.
Como parte da Operação, servidores municipais já receberam treinamento de brigadistas e estão prontos para ajudar o Corpo de Bombeiros no combate a incêndios durante o período de estiagem. Em Botucatu a Operação conta ainda com o apoio da Guarda Civil Municipal.
Um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apontou que em 2016 foram registradas 2.324 queimadas no Estado de São Paulo, de junho a outubro. Neste ano já foram 843 focos de incêndio.
Pouco mais de cem municípios paulistas, entre eles Botucatu, desenvolvem ações da Operação Corta Fogo.

(com assessoria/PMB)