Participaram da solenidade o Prefeito Mário Pardini; Izaias Colino, presidente da Câmara dos Vereadores de Botucatu; o Coronel Antônio Valdir Gonçalves Filho, do Comando do Policiamento do Interior (CPI/7); tenente-coronel Jorge Duarte Miguel, comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar do Interior; Antônio Soares da Costa Neto, delegado seccional da Policia Civil de Botucatu; Adjair de Campos, Secretário Municipal de Segurança e Direitos Humanos; Sérgio Luiz Bavia, Comandante da Guarda Civil Municipal; Clóvis Martins, Vice Presidente do Conselho Comunitário de Segurança; e 1º Tenente Milton Badaró, delegado do Serviço Militar da cidade.

 Pelo quarto ano seguido, Botucatu lidera o ranking das cidades paulistas mais seguras. Com base em dados estatísticos fornecidos pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, a Prefeitura apresentou o evento “Botucatu, Cidade da segurança”, na noite de quarta-feira, 16, no Teatro Municipal. O levantamento mostra o Município com baixos índices em crimes como homicídio e roubo e furto, quando comparado a outras 77 cidades paulistas com mais de 100 mil habitantes.

Muitos botucatuenses fazem vistas grossas e citam casos seguidos de roubo, assaltos, mortes violentas. De fato a cidade não está imune a violencia, mas o diferencial, quando comparado a outras cidades, é que em Botucatu esses casos violentos contra a vida e contra a propriedade são baixos e o indice de esclarecimento policial e encaminhamento judicial é eficaz.

“Nos preocupamos com a segurança pública da Cidade desde o primeiro dia de trabalho à frente da Prefeitura e hoje podemos afirmar que a população tem uma preocupação a menos ao sair de casa. Além da população ser beneficiada, o Município ganha olhos de investidores de fora, que sempre buscam o melhor ambiente para seus negócios. Ficamos feliz em afirmar que Botucatu é a Cidade mais segura do Estado”, comemorou o Prefeito Mário Pardini.

Um dos fatores que garantem a tranquilidade nas ruas botucatuenses é a união das Forças de Segurança, assegura o Secretário de Segurança e Direitos Humanos Adjair de Campos.

“Em Botucatu nós temos a união das forças de segurança, que é a integração da Guarda Civil Municipal e as Polícias Civil e Militar, o que garante um trabalho mais eficiente no combate ao crime. Conseguimos desenvolver ações e deixar a população mais segura”, afirmou o Secretário.

O ranking foi desenvolvido com base na taxa de crimes de cada cidade, registrados ao longo do ano de 2016, de acordo com a seguinte metodologia: o número de ocorrências foi dividido pelo número de habitantes e multiplicado por 100 mil. O resultado é aplicado para a elaboração do levantamento, que leva em consideração o grau de ofensividade de cada crime. Os homicídios, por exemplo, têm peso “6”, enquanto que roubos, furtos e roubos de veículos e furtos têm pesos menores.

CONFIRA OS NUMEROS ANUNCIADOS

Furtos
Crime de menor potencial ofensivo, o furto é considerado um crime de oportunidade, quando o bem está em veiculos com portas e janelas abertas, bolsas em cima de mesas de bar, etc . Em 2015, a Cidade registrou 919 casos a cada 100 mil habitantes ao longo do ano. Em 2016, este número subiu para 996 por 100 mil habitantes. Mesmo assim, Botucatu caiu do 42º lugar em 2015, para 40º em 2016.

Furto e roubo de veículos
Neste tipo de crime, quando há arrombamentos e o bem é tomado mediante ameaça e violencia, Botucatu teve queda nas ocorrências. Em 2015 foram 44,49 casos a cada 100 mil habitantes, contra 33,80 em 2016, garantindo que a Cidade mantivesse a primeira posição na lista.

Homicídios
Este foi o único crime que Botucatu registrou aumento e perdeu uma posição no ranking. Com dois casos registrados ao longo de 2016, a Cidade ficou com a taxa de 1,47 homicídios a cada 100 mil habitantes. O dado é melhor que o anterior, mas não foi suficiente para manter o Município no primeiro lugar. De certa forma indica que os criminosos estão mais violentos.

Roubos
Por envolver violência contra a vítima, o crime de roubo é o que mais impacta a sensação de segurança da população. Botucatu registrou aumento no número de ocorrências de um ano para outro. Mesmo assim, a Cidade conseguiu manter o primeiro lugar do ranking.

(com assessoria)