Além de escrever, a artista também ilustra suas obras; foi a vontade de ilustrar que a fez entrar na escrita |Arquivo Pessoal

Dando sequência à programação do Viagem Literária, a Biblioteca Municipal Emílio Pedutti recebe nesta segunda-feira (5), a partir das 14h, a escritora e ilustradora Lúcia Hiratsuka para um bate-papo com leitores.

Entrada franca:
Bate-papo com Lúcia Hiratsuka
Segunda-feira, 5 de junho
Horário: 14h
Local: Biblioteca Municipal Emílio Pedutti (Espaço Cultural, Av. Dom Lúcio, 497)
LEIA TAMBÉM::
Viagem Literária continua nos próximos meses

 

Na ocasião, o público terá a oportunidade de conversar com um dos principais nomes da literatura infanto-juvenil atualmente. Lúcia já foi vencedora dos prêmios Jabuti e da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Os disputados catálogo White Ravens, da Biblioteca de Munique, e lista de honra IBBY também contam com obras da artista.

Além do reconhecimento de hoje, toda a trajetória de Lúcia deve ser pauta no bate-papo – e desde o início, que contém inclusive uma característica que aproxima a autora dos botucatuenses: ela nasceu em Duartina e os seus pais vivem em Bauru. Tanto é que ela afirma que se sente em casa na nossa região – e em Botucatu é a segunda visita, Lúcia já participou de um evento no SESI da cidade.

“[No bate-papo] eu falo um pouco da minha trajetória, do processo de criação, mas o mais importante é a troca. Responder perguntas dos leitores, ouvir o que eles têm para falar”, adianta a artista. “Vou preparada para fazer o meu melhor”.

A biblioteca convidou escolas públicas e particulares do município para participar do evento, além de escolas de artes e a comunidade nipônica, pois Lúcia tem origem japonesa. Mas o encontro, assim como toda a programação do Viagem Literária, é aberto ao público em geral.

AUTORA RESGATA LENDAS JAPONESAS

Com dezenas de livros publicados Lúcia Hiratsuka acumula prêmios Jabuti e da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil | Foto: Renato Stockler-Divulgação |

Os livros de Lúcia Hiratsuka também poderão ser encontrados na biblioteca municipal. Neles, a escritora e ilustradora divide com crianças e adolescentes histórias que permearam sua própria infância no sítio Asahi, em Duartina. Entre elas as lendas japonesas, que Lúcia ouvia da sua avó, nascida no país asiático onde a artista viveu depois por um ano, para resgatar suas raízes.

“As lendas trazem conteúdos universais, falam dos desejos mais profundos do ser humano. A receptividade tem sido ótima, sinto que crianças e adultos se encantam, ou ficam intrigados, o que é bom”, afirma a autora sobre a receptividade do público brasileiro por esse conteúdo estrangeiro.

Além do enredo de livros de Lúcia Hiratsuka, a influência japonesa é vistae enche os olhosnas ilustrações feitas pela própria artista em suas obras. O traço delicado não nega a raiz oriental da autora, e combina em cheio com a delicadeza também predominante na escrita.

Mas além das origens, Lúcia destaca o trabalho como sua fonte de inspiração – dica que ela dá para quem deseja escrever literatura infanto-juvenil, área em que ela atua há quase 30 anos.

A inspiração a gente faz acontecer com muito trabalho: pesquisando, escrevendo, lendo, rabiscando. E a infância é muito marcante, período fértil de muitas descobertas, brincadeiras, inquietações”, conta. “Eu acho que cada autor deve buscar um jeito próprio de criar. O essencial é estudar muito, e o próprio caminho vai surgindo devagar. A ideia pode estar bem perto de nós.

Ela completa que todos esses processos devem ser feitos antes da publicação de obras. “Acho que o mais importante é não pensar em publicar rápido”, opina Lúcia. “Participar de oficinas e cursos é uma forma de trocar ideias, perceber se é realmente a sua paixão”.

VIAGEM LITERÁRIA CONTINUA NOS PRÓXIMOS MESES

O Viagem Literária foi aberto em 22 de maio com apresentação de contos indígenas e lendas brasileiras | Foto Divulgação |

O Viagem Literária estreou esse ano em Botucatu com apresentações do grupo carioca Poesia Viral. O programa da secretaria estadual da Cultura, em parceria com a Prefeitura de Botucatu, retorna à cidade depois de sete anos com uma intensa programação literária e cultural aberta ao público.

Para a escritora e ilustradora Lúcia Hiratsuka, que também passa pelas cidades de Itapetininga, Tatuí, Boituva e Salto de Pirapora pelo Viagem Literária, a iniciativa é muito importante para a formação de leitores, finalidade que ela considera ainda carente de ações.

“É um projeto importantíssimo na formação de leitores, pois abre para um público diverso: crianças de escolas públicas, escolas particulares, comunidade local, artistas, escritores da cidade. Para o autor é uma grande oportunidade de conversa com os leitores ou futuros leitores (na torcida!)”, afirma a artista, que já participou do programa em 2015.

“Desde quando comecei [na literatura infanto-juvenil] (uns 30 anos atrás!!), aumentou muito o número de editoras, autores, ilustradores e pesquisadores. Acontecem muitas oficinas também para mediadores, espaços para trocar ideias, revistas digitais… mas há muito para se fazer na formação de leitores”, conclui Lúcia.

Em Botucatu, ainda está prevista a vinda de uma oficina de escrita criativa e mais atrações até o segundo semestre pelo Viagem Literária.


Luciana Faria | [email protected]
É jornalista e atuou em Botucatu na editoria de cultura do jornal Diário da Serra.
Trabalhou na assessoria de imprensa de órgãos culturais, como Mauricio de Sousa Produções, e editoras Escala e Nova Criação.