Projeto Porto Maravilha estimula setor imobiliário da região
Projeto Porto Maravilha estimula setor imobiliário da região

A região portuária do Rio de Janeiro vem passando por frequentes transformações. A revitalização do local faz parte de um projeto do governo municipal, denominado Operação Urbana Consorciada Porto Maravilha, que é coordenado pela Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (CDURP). Segundo informações do site oficial do projeto, a reinvenção do espaço, já muito conhecido pelos cariocas, tem como objetivo principal reforçar a dinamicidade do centro da cidade a partir da atração de novos empreendimentos residenciais e comerciais, promover o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região, ao mesmo tempo em que retoma a valorização de sua memória histórica. 

Desde o início da revitalização, o espaço tem recebido atenção de diversos investimentos imobiliários residenciais e comerciais, o que já era previsto pela coordenação. A CDURP, inclusive, visando a facilitação e agilidade no processo de aprovação de novos projetos imobiliários, propôs reduções e isenções de tributos municipais aos empreendimentos consolidados nos primeiros anos da operação. Essa ação, com o tempo, pode representar uma adesão positiva de novas edificações.

Para os analistas do segmento, a revitalização da zona portuária atrai empreendedores interessados em comprar ou alugar imóveis, tanto residenciais quanto comerciais. Caio Catarino, especialista imobiliário da Hom3, empresa parceira da DezNoventa, comenta que as recentes obras, concluídas e em andamento, são os principais pontos de atenção desse público. 

“A região está com diversos processos de melhorias na infraestrutura, como obras de saneamento básico, mobilidade urbana, novas áreas de lazer e serviços. O futuro da região parece ser muito próspero para os investidores”, salienta Catarino.

Segundo informações noticiadas recentemente, no segundo semestre de 2022 a área do Porto Maravilha já contabilizava quase cinco mil unidades residenciais erguidas ou com construção prevista e, desse número, mais da metade já estava vendida. “A construção de novos prédios residenciais, restaurantes, lojas e atrações turísticas trouxe novas oportunidades de crescimento para a área. O preço dos imóveis na região aumentou significativamente desde a revitalização, criando um cenário favorável para os investidores”, comenta o especialista da Hom3.

Além do Porto Maravilha, que engloba ações em toda a área portuária, outros projetos também estão em andamento, com foco em condições de habitação, revitalização do Centro Histórico, regras de sustentabilidade para novas edificações, melhorias na mobilidade para pedestres, nova rede de transporte e sistema de iluminação pública. “Tudo isso, além de atrair novos moradores para a área, também trata de melhorar a condição de moradia, de acesso à cultura e segurança da população local”, afirma Catarino.

Hub de educação e tecnologia em construção

Em novembro, a prefeitura do Rio de Janeiro deu início às obras do POMAR – Porto Maravalley,  um hub de educação e tecnologia localizado na região central do Porto Maravilha. Segundo o portal de informações do projeto, o espaço receberá o primeiro curso de graduação do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada) e reunirá startups, investidores e corporações de tecnologia.

O objetivo principal do POMAR, de acordo com a prefeitura, é que o local seja um polo tecnológico para desenvolvimento da vocação econômica da cidade como um todo. “A projeção é que seja um “Vale do Silício carioca”. A criação do hub também fomenta o setor da construção civil, que está investindo na região com novos empreendimentos residenciais já licenciados”, afirma.

Segundo o especialista da DezNoventa,  a expectativa é que, nos próximos quatro anos, o Porto Maravilha tenha mais de treze mil novos moradores, o que representa um aumento de 45% na população dos bairros da Saúde, Gamboa e Santo Cristo.