Festas juninas podem gerar uma série de transtornos para os pets
Festas juninas podem gerar uma série de transtornos para os pets

As festas juninas vieram para o Brasil na época da colonização, trazidas pelos portugueses. Elas são consideradas o segundo maior evento popular comemorado no Brasil, perdendo somente para o carnaval. Este evento de celebração aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio, constitui parte importante do patrimônio cultural brasileiro e já está se estendendo até julho.

Segundo a crendice popular, o som dos fogos de artifícios espanta maus espíritos e desperta São João para a festa. Mas, para os animais eles representam um grande sofrimento.

“Como é de conhecimento dos tutores de cães e gatos, eles têm grande dificuldade para se adaptarem aos festejos muito barulhentos, principalmente aos sons provenientes de rojões”, salienta Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News & Negócios.

De acordo com a médica-veterinária e supervisora de Capacitação Técnico-Científica e Técnico-Comercial da PremieRpet, Marina Macruz, é importante saber identificar quando os pets estão assustados e conhecer maneiras para ajudá-los nesse momento de insegurança, evitando fugas e até acidentes.

“Com medo do barulho dos fogos de artifício, os cães, por exemplo, podem manifestar o incômodo com latidos, agitação, tremor, salivação excessiva e tendem a buscar segurança nos tutores ou procurar um abrigo”, explica a doutora Mariana Macruz.

“Os tutores responsáveis são aqueles que não permitem seus animais participem deste tipo de evento. O ideal é permitir que eles se acomodem num lugar tranquilo, longe da movimentação das visitas e de alimentos e bebidas que possam provocar distúrbios gastrointestinais”, conclui Vininha F. Carvalho.