Democratização da IA generativa e capacidade humana são temas trazidos pela CBYK
Democratização da IA generativa e capacidade humana são temas trazidos pela CBYK

Ferramentas como Dall-E, Midjourney e o famoso Chat GPT estão contribuindo para a democratização da inteligência artificial (IA) generativa. Segundo o Fórum Econômico Mundial 2023, a tecnologia é uma categoria de algoritmos de inteligência artificial que gera novos resultados com base nos dados em que foram treinados, e claro, são a bola da vez.

A frase que é atribuída ao poeta Vinicius de Moraes diz “uísque é o cachorro engarrafado”, porque faz companhia, consola, aconselha e dá apenas uma leve dor de cabeça. E julgando pelo debate atual, Fabricio Visibeli, CEO da CBYK, afirma que o Chat GPT e seus similares são algo como um ‘cachorro cibernético’ e ainda um aspirador robô. As pessoas esperam que eles resolvam todos os problemas banais, dê conselhos e faça companhia.

Fato é que profissionais de diferentes áreas, como logística, marketing, finanças e pesquisas utilizam ferramentas de IA há algum tempo, e provavelmente não foram totalmente surpreendidos pelo lançamento comercial de novas tecnologias como o Chat GPT, Character. AI entre outros competidores. Mas está acontecendo uma verdadeira mudança de paradigma com o seu desenvolvimento.

De forma similar à popularização dos computadores pessoais e para pequenas empresas, foi a capacidade de uso fornecida por empresas como Microsoft e Apple, que permitiram que qualquer um utilizasse um computador em suas tarefas. Agora, com algum mínimo treinamento, poderão também interagir com a IA em tarefas repetitivas, de dificuldade baixa ou média, deixando a própria capacidade criativa e de trabalho em equipe focada apenas em questões estratégicas ou de maior relevância.

Esta nova IA, mais “friendly”, poderá ser uma forte ferramenta de aumento da produtividade em diversos ambientes, como em operações logísticas associadas a contratos inteligentes, no atendimento de usuários em um SAC de terceira geração, na formulação de planos de pesquisa e de mídia e em muitas tarefas de escritório – ainda que já tenha se aberto a discussão sobre o fim dos estagiários – ela não irá resolver os seus problemas de IT ou estratégia empresarial, mas vai ajudar.

“Acredito que Vinicius de Moraes, como humanista, poeta e bon vivant, dificilmente seria hoje um apaixonado por tecnologia, mas aceitaria estender o conceito do cachorro: a IA pode nos ajudar a relaxar, reduzir nosso estresse, aumentar nosso foco e liberar tempo para o mais importante, cuidar de pessoas. Quase mesmo um cachorro cibernético”, analisa Visibeli.

Mas nessa história, há muito a se conversar. O banco de investimento Goldman Sachs afirmou que sistemas de IA “generativos” como o Chat GPT, poderão desencadear um boom de produtividade que acabaria por aumentar o produto interno bruto global anual em 7% num período de dez anos, mas que em compensação tratá “perturbações significativas” ao mercado de trabalho, expondo à automação, o equivalente a 300 milhões de trabalhadores em tempo integral nas grandes economias.

Visibeli explica que a CBYK, uma empresa especializada em desenvolvimento de software de forma simples e descomplicada, segue estudando e testando possibilidades de uso adicional da IA nos projetos que produzem, e que toda discussão e perspectivas positivas sobre a transformação que a inteligência artificial generativa trará é essencial, mas que é preciso levar em conta a capacidade humana indiscutível para muitas tarefas também.

“Estamos certos de que a nossa missão inclusiva e nosso propósito permanecem inalterados. E que o sentido de grupo e de pertencimento que desenvolvemos na CBYK, e as fortes parcerias estabelecidas com nossos clientes, não serão alteradas. Em sua essência, são pessoas cuidando de pessoas, em suas necessidades de tecnologia”, ressalta o executivo.