Infectologista mostra como prevenir doenças durante o carnaval
Infectologista mostra como prevenir doenças durante o carnaval

Com o carnaval se aproximando, a saúde dos foliões é uma preocupação importante. Para ajudar a prevenir doenças infecciosas, é importante seguir algumas medidas simples, como higiene das mãos, uso de máscaras em ambientes fechados e evitar contato com pessoas doentes.

Vale também reforçar o cuidado de não negligenciar o perigo de comportamentos que possam oferecer riscos à saúde individual e coletiva da população. Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), consequências adversas do uso de álcool e drogas, acidentes de trânsito, são alguns dos problemas de saúde que precisam ser levados em consideração.

Segundo a médica infectologista do Hospital Mater Dei Santa Genoveva, Franciny Gastaldi, é preciso pensar tanto nas doenças relacionadas a esta época do ano, quanto às que os foliõese estão expostos quando se reúnem com outros. “Mesmo no carnaval, devemos sempre nos preocupar com hidratação, alimentação adequada e uso de protetor solar, mas também precisamos nos lembrar quanto à indicação do uso de repelentes para mosquitos, tendo em vista a época de chuvas e o aumento no número dos casos de dengue, zika e chikungunya”, alerta Franciny.

De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, há um aumento significativo de casos de doenças sexualmente transmissíveis durante a época de carnaval. As principais ISTs incluem clamídia, gonorreia, herpes genital, sífilis e HIV. É relevante destacar a importância do uso de preservativos e da prática de sexo seguro, para prevenir a transmissão dessas doenças. “Não podemos nos esquecer de que a camisinha previne também uma gravidez indesejada. As unidades de saúde estão preparadas para atender a todos os cidadãos que buscarem ajuda ou informações relacionadas à pré ou pós-exposição a ISTs. Em caso de sintomas ou dúvidas, é recomendável procurar avaliação médica o mais rápido possível”, lembra a médica.

Além disso, o contexto das festividades também coloca a saúde dos foliões em risco. A médica destaca que carnaval e festas geram aglomerações. “Os números de infecção pela COVID-19 continuam elevados, apesar da redução da gravidade e número de internações em Uberlândia. Se estiver com sintomas gripais (febre, dor de garganta, coriza, tosse), procure usar máscaras cirúrgicas, evitar contato com outras pessoas e procurar avaliação médica, de forma imediata, para diagnóstico e orientação precoce”, reforça Franciny.

Além da prevenção de doenças infecciosas, outros cuidados devem ser tomados para preservar a saúde do folião. A infectologista destaca a importância da hidratação e alimentação saudável, bem como o uso de protetor solar. “Mesmo em festas e eventos, o melhor é dar preferência para ambientes abertos e ventilados”, ressalta.

Por fim, é importante lembrar que, em caso de doenças preveníveis por vacinas, um prazo de 30 dias, antes da festa, é recomendado para melhor eficácia da vacina, mas quem estiver com a carteira de vacinação em atraso deve procurar atualizá-la o mais rápido possível.