Brasileiros estudam se é hora de investir em imóveis nos EUA
Brasileiros estudam se é hora de investir em imóveis nos EUA

Investir em imóveis internacionais sempre foi uma perspectiva atraente para muitos investidores. No entanto, com a pandemia de COVID-19 em andamento e seu impacto na economia global, muitos investidores sentiram-se retraídos com as instabilidades geradas para a economia mundial, deixando os planos para depois. Com a retomada da vida normal, alguns podem estar se perguntando se é o momento certo para investir em imóveis internacionais.

De acordo com a Knight Frank, uma importante consultoria imobiliária global, o mercado imobiliário internacional está mostrando sinais de recuperação e crescimento. Eles afirmam que os preços residenciais nobres em cidades como Paris, Sydney e Miami devem aumentar 5% nos próximos anos. Além disso, o relatório sugere que os investimentos em logística e data centers provavelmente fornecerão retornos atraentes para os investidores.

Além disso, o Fundo Monetário Internacional (FMI) informou que a economia global teve um crescimento de cerca de 5,5% em 2021, após uma contração de 3,5% em 2020. Essas perspectivas positivas para a economia global podem se traduzir em oportunidades de crescimento para investidores imobiliários internacionais.

No entanto, é importante observar que o investimento em imóveis internacionais vem com seu próprio conjunto de riscos e desafios, como flutuações cambiais, questões legais e regulatórias e instabilidade geopolítica. É crucial que os investidores conduzam uma pesquisa completa e a devida diligência antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Mercado imobiliário americano 

De acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis (NAR), o mercado imobiliário americano permaneceu resiliente durante a pandemia, com vendas de casas aumentando 5,6% em 2020. A NAR também relata que o preço médio de uma casa existente nos EUA aumentou 14,6% em 2020, atingindo um recorde.

Segundo o Bureau of Labor Statistics. Essa perspectiva econômica positiva é um bom presságio para o mercado imobiliário americano, pois sugere que haverá demanda contínua por residências e propriedades comerciais.

Para Lucio Santana, empresário do ramo imobiliário e CEO da Royal Mortgage USA, “Os EUA têm fortes leis de direitos de propriedade que protegem os interesses dos investidores. Além disso, o país possui um mercado imobiliário bem desenvolvido, com ampla gama de opções de investimento”

Apesar dos riscos, ele acredita que agora pode ser um bom momento para investir em imóveis, especialmente para quem busca diversificação e maior potencial de retorno. À medida que o mundo continua a se recuperar da pandemia, os investimentos imobiliários internacionais podem oferecer oportunidades únicas para os investidores. E conclui, “com uma economia forte, sistema político estável e um mercado imobiliário bem desenvolvido, os EUA oferecem oportunidades únicas para investidores imobiliários.”