Procedimentos estéticos não cirúrgicos ganham força no país
Procedimentos estéticos não cirúrgicos ganham força no país

No Brasil, todos os anos, são realizados cerca de 1,5 milhão de procedimentos estéticos no Brasil, de acordo com a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica). As mulheres são responsáveis por 88% das operações estéticas feitas no país. Em 2020, ocorreram cerca de 1,3 milhão de cirurgias, mesmo em meio à pandemia de Covid-19. Neste ano, o Brasil foi o segundo país em número de procedimentos em todo o mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, de acordo com um balanço da ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, em português).

De acordo com a SBCP, os procedimentos cirúrgicos estão deixando de ser uma opção para muitos pacientes, que em 2014, representavam 82,6%, decaindo para 52,5% em 2016, e 50,1% em 2018. Por outro lado, os procedimentos não cirúrgicos estão em uma escala crescente, e representaram 17,4%, 47,5% e 49.9% nos três períodos. Focando na questão das cirurgias na região glútea de forma específica, a gluteoplastia representou 0,8% das cirurgias estéticas em 2018. 

Segundo a Dra. Patrícia Leite Nogueira, cirurgiã plástica e proprietária da Clínica Meta, os procedimentos corporais estão ganhando espaço na estética médica e a busca tem aumentado significativamente. Para ela, é natural que a busca por esse tipo de procedimento esteja constantemente em alta.”O corpo é a nova face, o preenchimento de glúteos está cada vez mais em alta no Brasil e no mundo, sendo as mulheres brasileiras consideradas como referência de beleza”, comenta. 

“O aparecimento de novos produtos, de novas tecnologias, de cursos específicos para treinamento e capacitação de médicos, contribui para o aumento da oferta de procedimentos para essa região”, diz ela.

Os principais procedimentos não cirúrgicos nos glúteos

Os procedimentos não cirúrgicos, como volumização, que é o preenchimento de glúteo; a eliminação de celulites com subincisão; o bioestímulo de colágeno; a utilização de fios PDO; os emptiers, que são os esvaziadores de gordura;  e o ultrassom macrofocado são alguns dos principais procedimentos estéticos, que podem ser realizados na região, segundo a Dra. Patrícia. “Devido à vida corrida que levamos hoje, são os mais procurados”, ressalta.

Segundo um artigo do Hospital da Plástica, a subincisão é uma técnica não cirúrgica indicada no tratamento de celulite em graus mais avançados que apresentam retrações ”pontuais” visíveis mesmo na pele em “repouso” e outras alterações do subcutâneo. O procedimento é feito com o uso de uma agulha de ponta cortante que é introduzida sob a pele, provocando o descolamento da pele e sangramento do local. 

O ácido hialurônico é o principal preenchedor utilizado hoje na volumização, segundo o Hospital da Plástica. O corpo humano fabrica esta substância, capaz de manter as formas e contornos, mas essa produção cai com o passar dos anos. Caso o preenchimento não seja realizado novamente em determinado tempo, a aparência retornará à condição original, afirma a especialista.

Para saber mais, basta acessar: @drapatricialeite