Este ano marca a 32ª entrega do Prêmio Blue Planet, a premiação ambiental internacional patrocinada pela Fundação Asahi Glass, presidida por Takuya Shimamura. Todos os anos, a Fundação seleciona dois ganhadores. São pessoas ou organizações que fizeram contribuições significativas para a resolução de problemas ambientais globais. O Conselho de Administração selecionou os seguintes vencedores do Prêmio Blue Planet 2023.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20230607005935/pt/

2023 recipients: (1) Prof. Penelope Lindeque, Prof. Richard Thompson, Prof. Tamara Galloway (2) Prof. Debarati Guha-Sapir (Photo: Business Wire)

2023 recipients: (1) Prof. Penelope Lindeque, Prof. Richard Thompson, Prof. Tamara Galloway (2) Prof. Debarati Guha-Sapir (Photo: Business Wire)

1.

Professor Richard Thompson OBE FRS (Reino Unido), nascido no Reino Unido em: 15 julho de 1963

 

Universidade de Plymouth, diretor do Instituto Marítimo, Universidade de Plymouth

 

Professora Tamara Galloway OBE (Reino Unido), nascida no Reino Unido em: 6 de fevereiro de 1963

 

Universidade de Exeter, chefe do Grupo de Pesquisa em Ecotoxicologia, Universidade de Exeter

 

Professora Penelope Lindeque (Reino Unido), nascida no Reino Unido em: 7 de setembro de 1971

 

Chefe de Ciências para Ecologia Marinha e Biodiversidade, Laboratório Marítimo de Plymouth (PML)

 

O professor Richard Thompson, a professora Tamara Galloway e a professora Penelope Lindeque demonstraram a existência de microplásticos no oceano e, desde então, mapearam sua presença desde o oceano profundo até as montanhas mais altas. Eles revelaram que os microplásticos são ingeridos pelos zooplâncton e outras espécies marinhas e fizeram grandes avanços na compreensão dos efeitos dos microplásticos nesses organismos marinhos e nos processos ecológicos. A equipe influenciou a legislação e a ação mundial, convocando a comunidade internacional a desenvolver soluções que ajudem a resolver o problema crescente da poluição plástica no oceano.

 

 

2.

Professora Debarati Guha-Sapir (Bélgica), nascida na Índia em: 11 de novembro de 1953

 

Diretora fundadora do Centro de Pesquisa em Epidemiologia de Desastres (CRED), Universidade Católica de Lovaina

 

Membro sênior, Centro de Saúde Humanitária, Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg

 

A professora Debarati Guha-Sapir fundou e comandou o desenvolvimento do Banco de Dados de Eventos de Emergência (EM-DAT), a primeira infraestrutura de dados de desastres globais provocados por mudanças climáticas (ex.: tempestades), perigos geofísicos (ex.: terremotos), agentes biológicos (ex.: pandemias) e desastres humanitários (ex.: conflitos). O EM-DAT e seu grupo de pesquisa ao longo de 30 anos servem como base científica para a elaboração de políticas baseadas em evidências, usadas por muitas organizações internacionais, governos nacionais e institutos de pesquisa que trabalham com medidas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas; e prevenção e mitigação de desastres.

• Cada pessoa premiada recebe um certificado de mérito, um troféu comemorativo e US$ 500 mil em dinheiro.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

A FUNDAÇÃO ASAHI GLASS

Toshihiro Tanuma, PhD

Tel.: +81 3 5275 0620

E-mail: post@af-info.or.jp

Site: www.af-info.or.jp/en

Fonte: BUSINESS WIRE