Escola de DJs e produção musical investe em novos métodos de ensino
Escola de DJs e produção musical investe em novos métodos de ensino

Aprendizagem visual, auditiva e cinestésica significa que as pessoas têm formas diferentes de aprender: alguns têm maior facilidade com imagens, outros com o som ou ainda com o tato. Este conceito já é aplicado em algumas instituições no Brasil como a AIMEC, escola de DJs e produção musical que já formou mais de 27 mil profissionais.

A maioria das pessoas combina os três tipos, mas estudos mostram que pode ser bom focar em apenas um e assim estimular habilidades específicas. Uma dica é testar, treinar e praticar as três formas e anotar os resultados obtidos em cada uma delas. O ato de aprender é uma tarefa intersubjetiva, particular e individual. Deste modo, o conhecimento é resultado da combinação de estímulos do ambiente externo com o interno, envolvendo a personalidade de cada um.

“Na internet, o aluno consegue encontrar alguns testes que ajudam a identificar que método combina mais com o perfil delas” – comenta a psicopedagoga Mônica Pessanha para o O Globo.

André Motta, CEO da AIMEC Brasil, explica que o novo método de ensino da escola está baseado nestas inovações que levam em consideração o pré-aula, aula e pós-aula: “O ponto-chave do método Headliner – um trocadilho com artista principal – é o ensino pré-curso, ou seja, no ato da matrícula, até o dia do início da aula, o aluno já recebe uma sequência de materiais a serem estudados”.

Sobre a sistemática, André Motta revelou que: “Há um grande volume de aulas práticas e dinâmicas além de videoaulas de suporte e conteúdo complementar disponível por aplicativo”. Sobre a gamificação da avaliação, André esclareceu que “todo o comportamento e desenvolvimento é medido e pontuado. Estudantes acima de 70% da pontuação máxima terão um certificado de conclusão com uma chancela de destaque”. Segundo ele ainda, “Outro ponto positivo é que o curso não acaba na avaliação. As estudantes e os estudantes têm uma mentoria pós-curso como bônus focada nos pontos críticos a serem melhorados e observados na avaliação final”.

A AIMEC transformou o fato de possuir sedes em oito cidades – Balneário, Camboriú, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Maringá, Porto, Alegre, Rio de Janeiro e Lisboa, em Portugal – em um ponto positivo na criação de seu método de ensino. Participaram profissionais e estudantes de diferentes regiões em um estudo que durou cinco anos: “Nossas sedes foram fundamentais para compreender diferentes comportamentos e anseios de estudantes e professores e trazer esta experiência ao método de ensino. Uma vez que estamos em diferentes estados, e até em outro país”, explicou Andre Motta, que complementou: “foi necessário entender hábitos culturais locais para encontrar melhores práticas que se encaixassem com estes cenários”.

O novo método começa a ser aplicado na AIMEC nos cursos com início em agosto de 2023 e foi desenvolvido por diversos profissionais, além do próprio André Motta, que também” é diretor da AIMEC em Campinas: Sandro Cruz (Curitiba), André Luchi (Campinas), Junior Antonini (Florianópolis), Erika Lobo (Campinas), Danilo Bencke (Curitiba), Alonso Figueroa (Curitiba), Joseph Harper (Campinas) e Jan Barbosa (Rio de Janeiro).

O site aimec.com.br contém informações completas sobre a escola e suas sedes pelo Brasil e Portugal, assim como as redes sociais @aimecbr.