Brasil tem mais de 2 milhões de novas empresas em 2023
Brasil tem mais de 2 milhões de novas empresas em 2023

Nos primeiros sete meses de 2023, foram abertas aproximadamente 2,3 milhões de empresas no Brasil. Considerando que 1,2 milhão de negócios foram fechados nesse mesmo período, o saldo positivo ficou em cerca de 1 milhão, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Com isso, levando em conta os dados fornecidos até julho, o país chegou a 21,6 milhões de empresas ativas, incluindo negócios de diferentes portes e segmentos. Os dados são vistos com otimismo pelo advogado Nilton Serson, especializado em negociação e mercado de capitais pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

“Trata-se de um indicativo de recuperação econômica vigorosa”, diz Serson. “Há vários fatores que podem explicar esse aumento significativo no número de empresas abertas. Primeiramente, as medidas de estímulo econômico e políticas de apoio ao empreendedorismo desempenharam um papel crucial.”

Outro motivo citado é o avanço da tecnologia. Graças à digitalização, é possível abrir e operar um negócio de maneira totalmente on-line, o que agiliza e facilita todo o processo. 

“Também é possível que muitos indivíduos tenham se voltado para o empreendedorismo como resposta à perda de empregos ou mudanças no mercado de trabalho devido à pandemia”, pontua. “Esse cenário representa uma diversificação na economia e uma adaptação às novas realidades globais”, completa o especialista.

O desafio de manter uma empresa “viva” e lucrativa

Apesar do saldo positivo, a taxa de mortalidade das empresas ainda traz preocupação, especialmente a dos pequenos negócios. De acordo com dados do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 29% dos MEIs (Microempreendedores Individuais) encerram suas atividades em um intervalo de cinco anos.

Essa porcentagem é de 21,6% nas microempresas e de 17% naquelas que se enquadram como de pequeno porte. Para garantir a estabilidade do negócio, Serson orienta que os empreendedores adotem estratégias e ferramentas que vão da inovação ao uso do marketing digital. 

“É importante estar sempre buscando novas ideias e abordagens para se manter à frente da concorrência. Além disso, a gestão financeira sólida é essencial para garantir a sustentabilidade e o crescimento da empresa”, recomenda o especialista. 

O foco no cliente é outro ponto apontado como crucial. Os negócios precisam entender o perfil do seu público, suas necessidades e oferecer condições vantajosas no intuito de fidelizá-lo, explica.

Em um cenário de constantes transformações, Serson ressalta que todos devem estar atentos a novidades e tendências que forem surgindo em seu nicho, especialmente as que envolvem tecnologia, análise de dados e inteligência artificial.

“As empresas devem estar preparadas para se adaptar rapidamente. A capacidade de ser resiliente e flexível em tempos de incerteza pode ser a chave para a sobrevivência e sucesso a longo prazo de qualquer negócio.”

Para saber mais, basta acessar: http://niltonserson.com/