Desde 1º de janeiro de 2024, as gorduras e óleos industriais da Cargill produzidos em todo o mundo atendem ao nível de tolerância máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), no critério ácidos graxos trans produzidos industrialmente (iTFA). A medida inclui todos os clientes de alimentos da empresa, em qualquer lugar do mundo. A Cargill atingiu essa meta ao se tornar a primeira fornecedora mundial cujo portfólio atende aos padrões recomendados pela OMS em iTFAs, limitando o conteúdo a até dois gramas por 100 gramas de gorduras/óleos, inclusive nos países que ainda não tem regulamentação sobre o tema.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20240131646829/pt/

Cargill has helped hundreds of customers reformulate and innovate nutritious and tasty products that meet WHO standards on iTFA (Photo: Business Wire)

Cargill has helped hundreds of customers reformulate and innovate nutritious and tasty products that meet WHO standards on iTFA (Photo: Business Wire)

Apesar de ter anunciado o compromisso em dezembro de 2021, a conquista reflete décadas de trabalho da Cargill. Sua jornada engloba mais de um quarto de século, incluindo inovação, milhões de dólares em investimentos e milhares de horas de P&D. Ao longo do caminho, a Cargill ajudou mais de 400 clientes a criar produtos nutritivos e saborosos, que contribuem para vidas mais saudáveis.

“É uma grande satisfação ver o compromisso contínuo da Cargill em reduzir as gorduras trans produzidas industrialmente em todos os óleos e gorduras, atingindo o objetivo com os padrões recomendados pela OMS”, afirmou René Lammers, diretor científico da PepsiCo. “Esta medida está alinhadaàredução de iTFAs nos alimentos produzidos pela PepsiCo, para atender ao mesmo padrão. Incentivamos nossos parceiros da indústria a se unirem nesta importante iniciativa, para evoluir o portfólio de alimentos e bebidas, fazendo o que é melhor para o planeta e para as pessoas.”

Só nos últimos dois anos, a Cargill investiu mais US$ 8,5 bilhões na modernização de suas instalações para reduzir a quantidade de gordura trans produzida durante o processamento do óleo, ao mesmo tempo que trabalha em colaboração com mais de 100 clientes adicionais em 20 países para reformular novas soluções de produtos.

Os iTFAs são frequentemente formados por meio da hidrogenação parcial de óleos vegetais (PHO), mas também podem ser criados por alto tratamento térmico durante o refino de óleos comestíveis. Em 2018, a OMS apelouàeliminação global dos iTFAs até 2023, observando que a ingestão de gorduras trans superior a 1% da ingestão total de calorias está associada a casos de doenças coronárias e mortalidade.

“Estamos muito orgulhosos por termos cumprido nosso compromisso aliado ao nosso propósito de nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável”, disse Laerte Moraes, diretor geral de Food Solutions da Cargill na América do Sul. “Dar esse passo de liderança no setor, mesmo em países sem legislação iTFA em vigor, ajuda a garantir consistência na cadeia de suprimento dos grandes fabricantes de alimentos, ao mesmo tempo em que oferece a inovação e experiência da Cargill aos pequenos fabricantes.”

Para garantir conformidade, a Cargill adicionou os iTFAs ao seu programa de segurança alimentar e garantia de qualidade. Essa abordagem baseada em sistemas inclui várias camadas de monitoramento, conformidade e auditoria.

No último relatório de progresso, a OMS observou que as políticas que limitam a utilização de iTFAs só foram implementadas em 60 países, atingindo cerca de 43% da população mundial. Isso deixa a maioria dos consumidores exposta ao risco de consumo contínuo de iTFA. O relatório apelou aos principais fornecedores de óleos e gorduras para “seguirem o esforço pioneiro da Cargill na eliminação de iTFA nos produtos vendidos aos fabricantes de alimentos do mundo inteiro”.

“Somos a primeira e única fornecedora a cumprir os padrões da OMS de forma consistente e transversal em todo portfólio global e, embora isso seja um orgulho, o relatório da OMS destaca que ainda há muito trabalho a fazer”, disse Moraes. “Provamos que não só é viável cumprir as recomendações do iTFA para níveis de gordura saturada, mas também que isso pode ser feito sem alterar o sabor ou a textura dos alimentos favoritos dos consumidores. Apelamos aos outros players da indústria para que juntem-se a nós.

A Cargill também ajudou no avanço da reformulação de todo o setor durante os últimos dois anos, especialmente em países que ainda não tinham regulamentação iTFA. Entre essas ações, destacam-se o Paquistão, onde a Cargill se associou ao Sustainable Development Policy Institute em uma campanha de sensibilização pública. Na Malásia e no México, a empresa interagiu com indústria, mundo acadêmico e governo para aumentar a sensibilização para as práticas recomendadas pela OMS, ao mesmo tempo que compartilhou suas experiências e conhecimentos na reformulação do iTFA.

1 “Contagem regressiva para 2023: Relatório da OMS sobre a eliminação global de gordura trans”, Organização Mundial da Saúde (2022). Baixe em: https://www.who.int/publications/i/item/9789240067233

Sobre a Cargill

A Cargill está comprometida em fornecer alimentos, ingredientes, soluções agrícolas e produtos industriais para nutrir o mundo de forma segura, responsável e sustentável. Situados no centro da cadeia de suprimento, estabelecemos parcerias com agricultores e clientes para adquirir, fabricar e entregar produtos que são vitais para a vida.

Os 160 mil membros da nossa equipe inovam com um propósito, fornecendo aos clientes os bens essenciais da vida para que as empresas possam crescer, as comunidades prosperem e os consumidores viverem bem. Com 159 anos de experiência como empresa familiar, miramos o futuro permanecendo fiéis aos nossos valores. Colocamos as pessoas em primeiro lugar. Chegamos mais alto. Fazemos a coisa certa – hoje e nas gerações vindouras. Para mais informações, acesse Cargill.com e a nossa Central de notícias.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Kelly Sheehan, media@cargill.com             

Fonte: BUSINESS WIRE