A cidade de Botucatu está em destaque no ranking 2021 da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), em relação ao saneamento.

Botucatu aparece na 12ª colocação entre os municípios brasileiros listados entre aqueles que estão rumo à universalização do saneamento do ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). De acordo com o levantamento feito com base nas informações de 1.670 cidades de todas as regiões do país.

Divulgado anualmente, o Ranking Abes da Universalização do Saneamento apresenta o percentual da população das cidades brasileiras com acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Considerando a pontuação em cada item, o estudo identifica o quão próximo cada município está da universalização do saneamento. Para todas as bases foi considerado 2019 como ano de referência, período dos dados mais recentes do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Para entrar na categoria “Rumo à Universalização”, o município deve alcançar pontuação total superior a 489 pontos no ranking, com nota máxima de 500. A nota total é alcançada com a soma dos pontos obtidos em cada item: abastecimento, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada dos resíduos sólidos.

Botucatu fez 498,06 pontos. A Cidade conta com 100% de Abastecimento de Água, 100% de Tratamento de Esgoto, 100% de Coleta de Resíduos Sólidos e 100% de Destinação Adequada de Resíduos Sólidos. A Coleta de Esgoto de Botucatu, segundo o ranking, deu 98,06%.

 

 

A edição 2021 do ranking da Abes reúne informações de 30% dos municípios brasileiros, representando cerca de 70% da população do país. O estudo completo pode ser consultado no site da Abes pelo link abaixo. O ranking ainda faz a correlação entre as variáveis saúde e saneamento, abordadas por meio das DRSAI – Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado, definidas em pesquisa financiada pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa). São consideradas as doenças de transmissão feco-oral (diarreias, febres entéricas, hepatite A) e sobre elas é calculada a taxa de internações média por 100 mil habitantes.

Botucatu apresentou uma taxa de 22,5 de internações por Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado.

 

Acesso ao ranking completo: http://abes-dn.org.br/?page_id=41939

 

Botucatu Online