A médica infectologista Drª Luana Araújo, que deu seu depoimento nesta quarta-feira, 2, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID no Senado, que seria a nova secretária extraordinária de Enfrentamento à COVID-19 do Ministério da Saúde, chegou a exercer o posto por 10 dias, mas foi demitida por motivos desconhecidos, tem uma curiosa ligação com Botucatu, ela participou e venceu o Prêmio Botucanto, em 2013.

Luana divide a carreira entre a saúde e a arte. Cantora e pianista de formação clássica, ela foi estudar música na Áustria aos 15 anos, já com o ensino médio concluído.

No Festival de Botucatu, em 2013, Drª Luana Araújo se apresentou como cantora do SambuluS Duo, grupo vencedor do Prêmio Botucanto naquele ano.

Na CPI, no Senado, a médica infectologista criticou o tratamento precoce contra a Covid-19 por meio do uso de medicamentos ineficazes, como a cloroquina e ivermectina. Segundo a profissional de saúde, o fato do Brasil ainda insistir na medida coloca o país na “vanguarda da estupidez”.

Assista a participação da médica no Botucanto 2013:

 

Botucatu Online – com informações Sérgio Santa Rosa