O ano de 2020 vai dar início a uma nova realidade no ensino fundamental municipal em Botucatu com a implantação de escolas de tempo integral, beneficiando quase 2 mil alunos com novas escolas. O município pretende abrir neste semestre 6 novas escolas, das 8 que o prefeito Mário Pardini anunciou, sendo a ultima em Vitoriana, construída com participação da construtora Ecovita e que deve estar pronta em 18 meses.
Além das escolas de EMEFI -Ensino Fundamental de Tempo Integral, Valdir Paixão destaca a entrega da nova Creche do Monte Mor, provavelmente em abril.  Os móveis e demais equipamentos pedagógicos da rede municipal já estão comprados e sendo instalados nas unidades que serão abertas de forma cadenciada logo no início das aulas, em fevereiro. Até o final do semestre todas estarão funcionando em novas instalações, moveis e servidores preparados para a demanda de trabalho integral.
“Cada escola nova vai atender aos alunos e a comunidade botucatuense de forma integral. Já estamos nos preparando para esse momento com tudo encaminhado em termos de equipamentos e recursos humanos, desde professores, diretores, supervisores de ensino e servidores para atendermos em média cerca de 300 novos alunos, que permanecerão nas escolas novas no turno e contraturno, recebendo conteúdo pedagógico e esportivo. No contraturno teremos reforço escolar, além de atividades esportivas, recreativas e educacionais”, explicou o professor Valdir Paixão, Secretário Municipal de Educação.
Conforme vem divulgando a Prefeitura de Botucatu, as escolas de tempo integral foram devidamente construídas em pontos estratégicos de bairros da cidade. O objetivo é fortalecer as relações familiares nos bairros e reduzir gastos com transporte e riscos de acidentes no trajeto.
As novas escolas serão entregues no Jardim Itamaraty, Residencial Maria Luiza, Monte Mor, Cohab I, Caimã e Cachoeirinha. A nova creche do Cambuí que vai ser inaugurada, provavelmente em abril, foi construída pela Fundação de Desenvolvimento Escolar, com recursos liberados quando o ex-prefeito João Cury Neto era presidente do órgão.
O Secretário Valdir Paixão acredita que as novas instalações e o projeto pedagógico que será implantado na rede escolar neste ano manterão as boas avaliações educacionais feitas por órgãos governamentais.
No dia-a-dia tem muito destaque o fato de o Município ser considerado ‘pacífica’ considerando a reduzida quantidade de crimes contra a vida e outros violentos, mas as escolas municipais, estaduais e também as particulares estão entre as que estão bem avaliadas nacionalmente. Por exemplo, a rede municipal conseguiu pelo menos 5 anos antes dos prazos estabelecidos pelo Inep, alcançar notas altas enquanto cidades do mesmo porte ou maiores estão patinando nessas avaliações.

 Conheça os professores que serão
homenageados nas novas escolas:

No Residencial Maria Luiza vai ser denominada “Escola Municipal de Ensino Fundamental Integral (EMEFI) Professora Maria Jesumina Dal Farra.
No Residencial Caimã, no Distrito de Rubião Junior a denominação da escola será EMEFI Terezinha Paes Secco.
A EMEFI do Jardim Itamaraty será denominada Professora Maria Jacomino Venditto, conhecida como dona Mariazinha Venditto.
Na região do Residencial Cachoeirinha e Cohab II a EMEFI vai receber o nome do professor Mozart Morais.
Na Cohab I a EMEFI será denominada Professora Elza Judith Carmelo Torres.
A EMEFI do Santa Maria receberá o nome de Nair Amaral, já que a unidade escolar vai ser transferida para o novo prédio.
A nova creche do Monte Mor ainda não teve a definição de nome.

ECOVITA FOI A PRIMEIRA

A construtora Ecovita foi a primeira a aderir ao projeto apresentado pelo prefeito Mário Pardini (PSDB), no inicio de seu governo em 2017, a fazer parceria com o Município. Na maioria das vezes a administração fornece material, planta ou outro recurso e a empresa de construção faz a obra fornecendo os trabalhadores e equipamentos.
A empresa Ecovita acreditou no projeto e forneceu a mão de obra para construir a escola de tempo integral do Residencial Maria Luiza, a primeira de ensino integral a ser construída em Botucatu e na semana passada assinou parceria para construir outra, em Vitoriana, também atendendo 300 alunos.
“Em Botucatu as construtoras que fazem casas populares ou outras obras publicas de grande valor estão contribuindo com a construção de escolas de tempo integral e postos de saúde”, afirmou recentemente o prefeito Mário Pardini que implantou a ideia na atual gestão.
Além da Ecovita com 2 escolas, contribuíram com novas escolas as construtoras Qualifest (Cachoeirinha). Monte Mor (For Casa) Itamaraty (MRV) e o Caimã e Santa Maria (Governo Federal).

 

(Com Radio Clube FM e jornal Leia Noticias)