A administração municipal vem enfrentando problemas burocráticos e orçamentários para viabilizar o projeto de construção de diversos equipamentos para acabar com os alagamentos na região central da cidade.
Dos cinco projetos de armazenamento de águas de chuvas projetados, um está em andamento, na região da rodovia Marechal Rondon e os projetos no Córrego do Tenente e Antártica aguardam posicionamento da CETESB.
Conforme explicou o prefeito Mário Pardini, dois reservatórios não serão possíveis construir por estarem planejados em área de preservação ambiental, na região do Lavapés, e o terceiro, na região do córrego Água Fria, não será possível construir por conta do alto custo na desapropriação da área.
“Dos cinco planejados, iniciamos a construção do primeiro às margens da Rodovia Marechal Rondon, mas temos problemas de licenciamento de dois, por estarem planejados em área de proteção ambiental. O Ministério das Cidades não libera recursos para piscinões em áreas de APA. O reservatório na região do ribeirão Água Fria, não vai ser possível construir por conta do custo, só a desapropriação custaria cerca de R$ 24 milhões”, explicou o prefeito Pardini, durante entrevista na Radio Clube FM.
Ainda segundo informou o prefeito, o quinto reservatório, na região do Lavapés, não vai ser construído, mas a Prefeitura de Botucatu vai instalar gabiões para proteger as margens do ribeirão. Também é possível fazer aprofundamento da calha do ribeirão, em trecho pré-determinado.
Represa Véu de Noiva
Na tarde desta Sexta-feira, a Prefeitura de Botucatu convidou a imprensa da cidade para uma visita na região do Véu de Noiva, onde está sendo planejada a construção de uma represa que permitir armazenar cerca de 10.000.000m³ (dez milhões de metros cúbicos) ou 10 bilhões de litros de água que será destinado ao abastecimento residencial, comercial e industrial.
Segundo exemplificou o prefeito Mário Pardini, com esse volume de água é possível enfrentar por mais de dez meses uma eventual estiagem no Município, usando exclusivamente a água do Rio Pardo. Atualmente o município de Botucatu tem uma pequena represa na região Sul de Botucatu e diversos reservatórios instalados na cidade, alem de um hidroanel que permite o abastecimento.
“Na semana passada levamos os vereadores para conhecerem o nosso projeto de represamento dessa água. Nesta sexta-feira convidamos os radialistas e jornalistas da cidade e região para conhecer o nosso projeto que dará segurança no abastecimento hídrico de Botucatu nos próximos 40 anos, permitindo o desenvolvimento da cidade”, assegurou.
Essa represa proposta pelo prefeito terá uma barragem de aproximadamente 20 metros de altura (a partir do nível do solo), que ocupará cerca de 280 hectares de terra. Além disso, o projeto, exigira a formação de 140 hectares de plantio de floresta nativa e recuperação de áreas degradadas.

 

(com Radio Clube e Jornal Leia Noticias)