Dia 279, 25/12.
Passamos a noite de Natal na casa da mamãe.
Todos se empenharam nos pratos salgados, nos doces, no bom humor e alto astral pra jantar em família.
A alegria da minha mãe era visível.
Eu, tendo a companhia física do Lucas, tive a companhia virtual do Diego.
Fiquei muito feliz.

O almoço também foi bacana.
Mais um Natal, vivas!

Dia 280, 26/12.

Sábado lindo.
Alegria de treinar com o Lucas.

Em casa as arrumações continuam.
O acervo dele em processo.

Foi um dia muito especial pra nós dois.
Abrimos mão de outros compromissos pra estarmos juntos, revendo memórias e fortalecendo nossa relação de mãe e filho.
Foi importante e muito especial.

Aniversário da minha tia Heloísa.
Parabéns queridona!

Dia 281, 27/12.

Domingo branco.
Aniversário do Fer, meu amigo amado.
Estamos juntos há 50 anos.
E é pra sempre, sim.
Parabéns queridão!


Dia 282, 28/12.

Meu dia de inferno astral.
Acordei assustada, um pouco atrasada pro meu lento ritual matinal.

A festa do Fer, ontem, foi bem gostosa.
Muito interessante foi ver como cada um dos amigos presentes está se relacionando com a pandemia.
Encontro de amigos, tudo de bom.
Com tim tins e bolo de chocolate, melhor ainda.

Me despedindo dos 59 anos.
Vivendo uma nova experiência com o Lucas, agora casado.
Um mix de emoções confusas.
Mas são boas, pra refletir, reaprender a conviver com pessoas na minha casa, tentar ser menos sistemática e mais empática, generosa e solidária.

” Caminhante não há caminho.
O caminho se faz ao caminhar.”
Antonio Machado, poeta espanhol.

Manicure, depilação.
Providências pra comemoração de amanhã.

Henrique e seus pais chegaram e foram com o Lucas almoçar com a mamãe.

Hoje Luiz e Cleusinha completam 29 anos de casados.
Que bacana!

E a chuva, prevista, me acompanha em todos os aniversários.
Que seja de bençãos.

Estou muito feliz.
Completar 60 anos é uma vitória.
A vida conquistada, o pensar pra melhor escolher, o aceitar que ainda tenho muito a aprender…
É por isso e por meus filhos e netas, a família, os amigos tãotão especiais, que desejo viver ainda muitos anos.

E nadar e nadar, e viajar e viajar, e amar e amar, ler muitos livros, ouvir os passarinhos e colher os frutos do quintal.

Ver a lua e o sol, fotografar.

E escrever e escrever.
Colocar nas palavras as ventanias, tempestades, chuva de estrelas e vulcões, a brisa e a preguiça, tudotudotudo que habita meu interior.

Poder estar com vocês, poder dividir com vocês, é muito booooommmm.
“MATURIDADE

Mário de Andrade

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade…
Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!”

Para reflexão.
“Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”
Dalai Lama

Resistirei até o fim.

Seguimos.