Dark Kitchen: modelo de negócio vem se popularizando
Dark Kitchen: modelo de negócio vem se popularizando

A pandemia de covid-19 mudou de muitas formas o mundo dos negócios em diversos setores. Um dos mais impactados foi o alimentício, em que empresas tiveram que se adaptar com o novo cenário para continuarem competitivas no mercado acirrado. Nesse contexto, a dark kitchen, também conhecida como dark restaurante, foi criada. Trata-se de um sistema de cozinha com a finalidade única de atender pedidos delivery de um restaurante. 

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP), cerca de 12 mil bares, restaurantes e lanchonetes fecharam suas portas entre março de 2020 e abril de 2021 na cidade de São Paulo por causa da pandemia. Por outro lado, o delivery cresceu, não apenas na capital paulista, e manteve vários estabelecimentos em funcionamento. 

Conforme dados de um estudo inédito feito por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Unicamp,publicado na revista Food Research International, cerca de 30% dos restaurantes do IFood são no modelo dark kitchen. Na cidade de São Paulo, conforme a pesquisa, o número de dark kitchens chega a 35,4%. 

O sistema Dark Kitchen

O modelo de negócio dark kitchen ultrapassou o período de pandemia e está se popularizando no Brasil, como mostra a pesquisa da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Conforme o Sebrae, alguns dos benefícios do sistema são:

Redução de gastos: sabe-se que abrir e gerir um restaurante é uma tarefa difícil. Existem muitas despesas que fazem com que o custo operacional seja elevado. Sendo assim, a dark kitchen pode proporcionar economia, pois não há, por exemplo, despesas com colaboradores que não atuam na cozinha. 

Economia com localização: uma das preocupações dos empresários é com relação a localização dos empreendimentos, pois o aluguel consome boa parte das despesas, ainda mais se estiver  bem localizado. Como a operação da dark kitchen utiliza apenas uma cozinha, ela pode estar localizada em qualquer lugar, reduzindo custos. 

Flexibilidade e mais praticidade: as dark kitchens oferecem um tipo de negócio mais flexível e prático para as franquias de restaurantes, possibilitando que se dediquem às entregas sem prejudicar as operações nos pontos físicos. 

Marketing e embalagens atraentes

Dark Kitchen é um modelo de negócio que vem crescendo a cada ano. Entretanto, como todos os empreendimentos, para ser lucrativo é necessário estar presente ativamente na internet, por que, conforme posicionamento do Sebrae, a maioria dos consumidores está lá. Ter um bom site, em que um cardápio bem elaborado com fotos atraentes seja mostrado, além de perfis nas redes sociais, ajudam no marketing. 

Outro ponto importante, conforme empreendedores do segmento, é entregar os alimentos em embalagens de qualidade. É necessário que sejam resistentes e tenham a capacidade de conservar a temperatura dos alimentos. Além disso, design e acabamento fazem a diferença. Receber a encomenda em uma embalagem atrativa, resistente e personalizada da marca é um diferencial. 

De acordo com o relatório apresentado pela Two Sides, as embalagens são relevantes para todos os setores, e as características dos pacotes que mais influenciam na compra são: capacidade de proteger o produto (64%), informações trazidas (52%) e facilidade de abrir e fechar (47%).  Sendo assim, as embalagens não fazem apenas o papel de transportar os produtos, mas de passar segurança e praticidade aos consumidores.