Grupo BBF acelera a transformação digital de suas operações
Grupo BBF acelera a transformação digital de suas operações

É em localidades isoladas, longas distâncias e condições climáticas adversas que o Grupo BBF (Brasil BioFuels) atua no setor do agronegócio desde o cultivo sustentável da palma de óleo, biotecnologia, produção de biocombustíveis e geração de energia renovável.

Presente em cinco estados do Norte do país, o Grupo BBF, empresa brasileira fundada em 2008, desenvolveu um modelo de negócio verticalizado e integrado, promovendo o desenvolvimento socioeconômico da região, preservação ambiental da floresta amazônica e a geração de mais de 6 mil empregos diretos e 18 mil indiretos. A companhia possui 38 usinas termelétricas em seu portfólio, sendo 25 usinas em operação que, atualmente, atendem mais de 140 mil clientes na região Norte do país. Além disso, 13 usinas estão em fase de implantação.

As usinas termelétricas do Grupo BBF atendem localidades dos Sistemas Isolados de energia no país – são regiões distantes e sem conexão com o Sistema Interligado Nacional (SIN). O Grupo BBF opera com Biodiesel B100 em substituição ao diesel fóssil em escala comercial nos Sistemas Isolados. Por atuar em um ambiente complexo, superar longas distâncias e orquestrar grandes equipes internas, é fundamental ter conexão digital segura para as operações da empresa, bem como o controle, a eficiência na gestão de dados e a robustez em sua infraestrutura de rede. Por essas razões, o Grupo BBF vem investindo em transformação digital em suas operações utilizando tecnologias Fortinet, empresa de  soluções de cibersegurança amplas, integradas e automatizadas.

“Dada a complexidade dos nossos negócios, temos que escolher soluções robustas que permitam resolver rapidamente o dia a dia de nossas operações, especialmente em questões envolvendo tecnologia e comunicação. A Fortinet nos oferece maior estabilidade, segurança em nossa infraestrutura de rede e melhoria na qualidade e velocidade dos processos com nossos colaboradores”, comenta Milton Steagall.

Com a assessoria da Interatell – parceira local da Fortinet – em 2020, o Grupo BBF iniciou a implantação do FortiGate Next-Generation Firewall (NGFW) em Moju e Acará, cidades no estado do Pará, onde estão localizadas as maiores áreas de cultivo de palma de óleo da companhia, e também duas de suas indústrias para produção de óleo de palma. O objetivo foi alcançar uma infraestrutura de rede protegida e unificada, além de garantir que 100% das informações coletadas nas usinas fossem enviadas à entidade reguladora.  Além disso, a filtragem segura dos dados do ambiente Tecnologia Operacional (OT, por sua sigla em inglês) gerou grande estabilidade, reduzindo a taxa de perda de pacotes de dados devido ao não rastreamento das informações de 27% para apenas 1,6%.

“É indiscutível que tecnologia é a ponte para a aprimorar processos, agilizar a produtividade e garantir a segurança das empresas. Com o desafio proposto pelo Grupo BBF podemos dizer que o avanço tecnológico não tem barreiras e pode chegar em lugares inimagináveis. Com certeza, esse foi o maior desafio do projeto, as localidades da implementação”, conta Marcelo Pafumi, diretor Comercial da Interatell.

A empresa implementou ainda o FortiSwitch para aumentar as conexões de rede, estendendo as políticas de segurança do FortiGate às bordas da rede. Isso foi possível graças à plataforma Fortinet Security Fabric, que conecta de forma inteligente todas as soluções. Também foram implantados pontos de acesso FortiAP para oferecer flexibilidade de acesso aos usuários conectados às redes Wi-Fi, ao mesmo tempo em que integra toda a conectividade sob uma plataforma robusta e segura.

O Grupo BBF decidiu utilizar o FortiManager como orquestrador de todas as soluções, para consolidar e padronizar a gestão da infraestrutura de rede em todas suas unidades, além da solução FortiAnalyzer para gerenciamento de logs e eventos com análise, detecção e alertas das tentativas de ataques cibernéticos. Ao ter visibilidade completa da rede a partir de um único ponto, a empresa reduziu em 90% o tempo gasto em processos para identificar problemas, reunindo toda a rede e visibilidade de segurança em um único dashboard de tecnologia.

Por fim, com o FortiClient, o Grupo BBF permitiu aos colaboradores acesso seguro a locais remotos, tanto em ambientes corporativos quanto industriais. Com a implementação da VPN site to site, a BBF passou a monitorar, em tempo real e remotamente, toda a malha VPN criada, inclusive nas plantas mais remotas de suas usinas termelétricas para geração de energia elétrica. “Nosso investimento em tecnologia e infraestrutura de redes nos permitiu avançar mais um passo em nosso propósito de nos tornarmos uma empresa referência em indústria 4.0 nos setores onde atuamos”, diz Steagall.

“Ambientes de OT e de TI precisam estar devidamente segregados e protegidos com as soluções adequadas para garantir a continuidade de operações tão importantes como a da BBF, que lida com infraestruturas críticas como a de fornecimento de energia. A utilização de uma plataforma tecnológica integrada de conectividade e segurança veio para garantir não apenas a eficiência operacional que a companhia possui hoje, mas também para viabilizar todas as expansões que venham a ocorrer no futuro”, explica Roberto Suzuki, diretor de Tecnologia Operacional da Fortinet para América Latina e Caribe.

O plano de investimento do Grupo BBF em tecnologia e infraestrutura de redes prevê a conclusão da implantação tecnológica na nova extrusora de soja, inaugurada no final do ano passado pela companhia em Paragominas, no estado do Pará; a organização dos processos para aplicação do parque tecnológico na inédita biorrefinaria em construção na Zona Franca de Manaus, com previsão de inauguração em 2025; e a infraestrutura de tecnologia para as 13 usinas termelétricas em implantação na região Norte do Brasil.