Hábitos dos brasileiros mudam o modo de se alimentar
Hábitos dos brasileiros mudam o modo de se alimentar

Com os desafios da rotina cada vez mais acelerada e a conciliação da vida no trabalho e fora dele, há, como reflexo, uma busca cada vez maior por opções rápidas e que tragam praticidade para o dia a dia. Ganhar tempo em tarefas diárias está diretamente relacionado a isso e a alimentação não é uma exceção.

Tal tendência é confirmada por dados recentes do instituto de pesquisa Euromonitor que aponta que o segmento de snacks (biscoitos doces, barras e snacks de frutas + Snacks salgados) apresenta uma projeção de taxa de crescimento anual de 9% no Brasil, saltando de 9 bilhões em 2022 para 13,4 bilhões de dólares em 2027.

Alessandra Mattar, gerente de marketing da ADM, explica: “Hoje, vemos que a famosa hora do lanche está mais presente na vida do consumidor. São aqueles momentos em que as pessoas dão uma pausa para escolher algo rápido para comer entre as refeições e até mesmo para substituir um almoço em dias agitados”.

De acordo com Alessandra, algumas demandas dos consumidores por esse tipo de opções estão se tornando recorrentes para atender ao desejo por uma escolha mais personalizada, suprindo necessidades específicas e se distanciando dos produtos mainstream. “Por serem pausas rápidas, o consumidor está mais atento à qualidade dos produtos. Além de nutritivo e saboroso, há uma maior demanda por um alimento que se encaixe aos seus desejos durante o dia”, citando o exemplo de lanches salgados e rápidos como produtos ricos em proteínas que vem crescendo e impulsionando a inovação no setor.

Pausa para o lanche: ocasiões de consumo

Segundo dados de pesquisa do relatório Snacking Report 2020, gerado pela Hartman´s Group, a nova rotina do consumidor gera ocasiões de consumo que explicam o porquê do crescimento da demanda por lanches mais saudáveis, completos e complexos:

Embora o lanche como substituto da fome continue sendo a principal razão para recorrer a produtos, os consumidores demonstram uma variedade de estados de necessidade. Houve aumentos perceptíveis na proporção de consumidores que fazem lanches para fins de indulgência, saúde e conforto nos últimos anos.

Snacks saudáveis como lanche

Um outro padrão que está se firmando nos hábitos dos brasileiros é a procura por alimentos com foco em saudabilidade e bem-estar. A expansão e a popularização das categorias são fatores essenciais para o crescimento dos alimentos com estes atributos nas prateleiras de mercados em todo o país, porém, segundo Alessandra, inovar ainda é um desafio.

“Anos atrás, víamos que a indústria começou a avançar com produtos que tivessem o foco na saudabilidade, como os biscoitos integrais, por exemplo, passando por pães, utilização de grãos ancestrais, etc., e isso abriu uma porta enorme no mercado brasileiro”, comenta. E a concorrência com o consumo de frutas na hora do lanche também é um fator importante no desenvolvimento deste tipo de produto, aponta a executiva: “no Brasil, diferentemente de outros países, o consumo de frutas é muito popular e esta é uma opção importante quando se fala em pausas para o lanche. Mas, sabemos que o consumidor também busca outras opções e sair do básico e do que já se conhece por lanches com saudabilidade e bem-estar, opções mais convenientes, com maior conteúdo proteico e apelo indulgente”, completa.

Mais doce que salgado: segundo a executiva, a popularização de snacks com foco em saudabilidade se expandiu com maior foco em produtos doces. “Hoje, já encontramos no mercado uma grande variedade de opções com perfil focado em doce, como as barras proteicas, os shakes e biscoitos. No entanto, para os consumidores que possuem um paladar mais salgado, as opções de snacks funcionais ainda são escassas. Mas, muito pode ser explorado, especialmente quando se trata em produtos plant-based que trazem vitaminas e proteínas em sua composição”, afirma. “Em nosso centro de inovação, por exemplo, desenvolvemos um snack salgado que substitui a tradicional granola doce, uma versão de granola salgada rica em proteínas, fibras, plant-based – uma opção para a pausa no trabalho com baixa caloria”, completa Alessandra Mattar.

Para mais informações, basta acessar: adm.com.

Informação para a imprensa: para a imprensa:

Fernanda Valente – fernanda.valente@advicecc.com – (11) 9 7573-3149

Heloisa Macedo – heloisa.macedo@advicecc.com – (11) 9 5440-0803

Patrícia Dantas – patricia.dantas@advicecc.com – (11) 9 8488-3377

Fernanda Dabori – Fernanda.dabori@advicecc.com – (11) 9 9211-5097