A Secretaria Municipal de Assistência Social de Botucatu está trabalhando para viabilizar nos próximos dias a primeira turma de 50 famílias que participarão do projeto de redução vulnerabilidade social e geração de renda. O trabalho foi planejado pelas assistentes sociais dos CRAS, que verificaram a existência de muitas famílias que não conseguem emprego, por falta de qualificação entre outros fatores.
Segundo a Secretária Silvia Fumes Carvalho, existem muitos beneficiários de programas sociais que estão há anos, sendo que muitas famílias já estão na terceira geração de assistidos. São pais, filhos e netos que estão sobrevivendo com programas de assistência social e doações de cestas básicas.
“Temos muitas famílias que não conseguem renda e vivem na pobreza extrema há muitos anos. Temos relatos de muitas famílias estarem recebendo auxilio da Secretaria de Assistência Social há muitos anos. Existem famílias que já estão na terceira geração de assistidos pelos programas dos CRAS. Nosso objetivo com o programa Botucatu em Frente é romper com a dependência social, oferecendo ocupação e qualificação e renda”, destacou a secretária.
Silvia Carvalho destacou que as equipes dos CRAS nos bairros da cidade já estão trabalhando na seleção do primeiro grupo de 50 pessoas, chefes de famílias que receberão treinamento. Ela ressaltou que o trabalho liderado pela Assistência Social terá apoio das Secretarias de Desenvolvimento, Educação, Zeladoria e do Fundo Social de Solidariedade.
“São 50 famílias que já estão pré-selecionadas, entre aquelas que regularmente buscam auxilio dos CRAS. Serão quatro dias de trabalho com equipes da Zeladoria e um dia de curso de qualificação que incluí alfabetização. Muita gente não consegue emprego por não saber, infelizmente, ler e escrever”, destacou a secretária durante entrevista na Radio Clube FM.
O projeto de lei com a autorização para a realização do projeto deverá ser votado nos próximos dias na Câmara Municipal. “O projeto já foi encaminhado para os vereadores analisarem a proposta que formulamos e teve a aprovação do Prefeito, que está muito preocupado com o desemprego na cidade”.

Só famílias de Botucatu

Além dos trabalhos desenvolvidos na Zeladoria, a secretária Silvia Fumes Carvalho destaca que empresários de diversos setores como da área de construção, serviços e zeladoria também podem contribuir oferecendo empregos aos assistidos no programa.
“As empresas de Botucatu que desejarem participar do programa, oferecendo vagas e treinamento serão bem vindas. Podem nos procurar na Secretaria que teremos muito prazer em esclarecer a iniciativa e contar com a ajuda”.
Silvia destacou que os selecionados serão exclusivamente de Botucatu. Ela revelou que a exemplo de algumas tentativas de fraudes de atendimento na Saúde com pessoas de cidades da região, que usam endereços de moradores do município para atendimento na rede municipal, o programa vai ser rígido na escolha das primeiras 50 pessoas exclusivamente da cidade.
Ela contou que existem pessoas de outras cidades e até moradores de rua que muitas vezes usam contas de energia e água para obter benefícios dos programas sociais.
“Estamos atentos a isso e sempre que observamos a mesma pessoa da família ou endereço, usando os nossos serviços três vezes seguida, alteramos o atendimento nas unidades e substituímos por atendimento domiciliar, como forma de evitar que prestemos serviços a pessoas de outras cidades. Estamos atentos a essa possibilidade. Serão atendidas, exclusivamente, as pessoas que moram em Botucatu”.
Os recursos utilizados no programa “Botucatu em Frente...” serão abastecidos pelo Fundo Social de Solidariedade, que vai utilizar o percentual pago pelos supermercados que atendem os servidores municipais que usam o Vale Compras. “O financiamento do projeto será feito com os recursos das comissões que os supermercados pagam para a prefeitura, no uso do vale alimentação”.

 

(com radio Clube FM e jornal Leia Noticias)