Em uma entrevista exclusiva para o Domingo Espetacular, da Record, Mariana Maffeis explicou o motivo de levar uma vida simples em Botucatu, a 230 quilômetros de São Paulo. A filha de Ana Maria Braga avaliou que tem sorte de poder escolher como deseja viver e quer envelhecer da melhor forma possível.

No programa exibido neste domingo, 26, Carolina Ferraz desvendou os detalhes dos hábitos modestos da filha de Ana Maria Braga, e professora de yoga.. Ela recebeu a equipe da atração no sítio onde mora, , com o marido e os quatro filhos. Num bate papo muito especial, ela falou por que optou por uma rotina bastante tranquila, longe da fama e dos holofotes que fazem parte da trajetória de sua mãe.

“Tenho um privilégio que Deus me deu e os meus pais me deram, principalmente minha mãe”, refletiu.
Durante a entrevista, a herdeira da apresentadora comentou sobre sua rotina no interior. Segundo ela, a mudança para o local aconteceu de forma natural.



“Eu estou com 41 anos, esses anos vamos acumulando gostos, escolhas, isso constrói um estilo de vida, mas não é uma coisa que você pode escolher como uma música, eu fui escolhida por esse estilo de vida”, refletiu. “Tem a agricultura natural, estilo de vida saudável, e Botucatu foi eleita a melhor cidade para envelhecer“, continuou Mariana.

As pessoas pensam: ‘A Mariana vive uma vida simples no mato’,e é ao contrário, eu tenho um privilégio que Deus me deu e os meus pais me deram, principalmente minha mãe, que me deu uma segurança para poder fazer escolhas. Neste momento, eu decidi fazer essa escolha de estar perto de um lugar que eu considero mais sano.
Mariana ainda comentou sobre as comparações que costumam ser feitas entre ela e a mãe. “Ela virou Ana Maria Braga porque ela é o que é, ela vive a verdade dela com toda intensidade, eu também vivo a minha verdade.”

Boicotada pela Globo
Na semana passada, Mariana também concedeu uma entrevista à IstoÉ e revelou se sentir boicotada pela Globo. “A gente podia ir direto lá, [agora] as pessoas não podem mais aparecer, as crianças não podem, tem que ter um monte de autorização”.


“Antes era normal, a gente aparecia, fazíamos sempre declarações no Natal, no Ano-Novo, aniversários. E, de repente, ficou uma coisa oculta. Acho que esse ocultismo se deve à posição da empresa, do programa dela e, consequentemente, também da rede social”, acrescentou.


“Mas eu vejo também, talvez, como um pouco de boicote, porque o que eu trago pode parecer um conflito de interesses em relação a uma empresa como a Globo e seus patrocinadores. Eu entendo isso, e a minha relação com a minha mãe está muito acima disso”, concluiu Mariana.