Em uma ação realizada pelo Departamento de Proteção Animal de Botucatu, os investigadores voltaram para uma residência, na Vila Nossa Senhora de Fátima, para verificar uma situação de maus-tratos contra animais. A intervenção ocorreu após uma denúncia anterior, feita há oito dias, que já havia identificado irregularidades no tratamento de uma cadela de pequeno porte.

Na visita inicial, a equipe constatou que a cadela estava presa por uma corrente curta, uma prática proibida por lei devido aos riscos de sofrimento e restrição de movimento para o animal. O tutor foi orientado a regularizar a situação, conforme as normas vigentes de bem-estar animal.

No entanto, na inspeção de hoje, os agentes encontraram a cadela nas mesmas condições precárias. Diante da reincidência e descumprimento das orientações fornecidas anteriormente, o tutor foi conduzido à delegacia local. Lá, ele recebeu voz de prisão em flagrante, acusado de praticar atos de abuso contra animais, conforme previsto no Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais.