E foi um grande prazer ver a Rita Lee falando sobre o envelhecer.
Eu também quero mais saúde, e um mundo melhor, também amei demais e, que delícia, quero muito mais!, estou viva e, sim, cheia de graça.
Me faço feliz.
O domingo foi muito booooommm!

E junho acordou lindo.
Céu azul e temperatura gostosa.

Há 36 dias atrás o Fer me falou: amiga, daqui há pouco será o dia 72! E eu, não Fer! Credo, vai acabar antes!
Enganada, estava, e muito crente e desapercebida da realidade da pandemia.
Sandra Peduti bem me avisou: só ano que vem, amiga.

Ontem recebi uma chamada de vídeo em grupo e foi muito muderno e gostoso. Ver os amigos ao vivo, em suas casas, ahhhhhh, muitas risadas e fila pra falar. Adoreiamei.

Depois do café da manhã, bons dias e plantinhas, banho gostoso e saí pro centro no primeiro dia de flexibilização.


Rua Amando.

Encontrei a Lojika praticamente vazia. Eram 9 e meia. Comprei os incensos e achei as caixas organizadoras com preço melhor que na internet.

O objetivo era comprar pijaminha de inverno pra mamãe. Presente de aniversário adiantado.

Fiquei surpresa e feliz pela volta da loja Libanex, da família Ganthous.
Tenho uma história de carinho com a família e com a loja.
Fui cliente por mais de uma década da loja do Lavapés. Onde vesti meus dois filhos.
Seo Ganthous, o patriarca, sempre muito gentil e bom de desconto.
Muito tempo depois a loja mudou pro centro.
Pedro e Márcia são meus contemporâneos. Márcia, fonoaudióloga, inclusive é irmã de amigos queridos, João e José.
Eduardo, filho deles, foi colega do Lucas na Aitiara. Formado em veterinária, o sangue libanês e a tradição de comerciante venceram. E foi ele que me atendeu hoje, com a mesma excelência e gentileza de família.
Foi muito bom e fiquei fã.

O absurdo, na Amando, era a fila do Bradesco. A calçada tomada por pessoas. Pedestres tendo que usar a rua pra seguir o caminho. Muito ruim.

O transporte coletivo, em esquema de horário de domingo, está desalentador. Fiquei meia hora esperando qualquer ônibus que me levasse pro bairro.

Mamãe adorou os pijamas e a calça. Serviram certinho e me senti muito bem por ter acertado. Roupas são escolhas pessoais né?

Fiz os pagamentos restantes, fui na lotérica, no mercado, comprei salgados pra almoçarmos.

Voltei pra minha casa as 2 da tarde e fiquei até às 4 na cozinha.

Minha cunhada Márcia me pediu e fiz com prazer.
Pizzas enroladas, receita de família, com recheio de escarola e bacon, calabresa e tomate, presunto e queijo e, com o final da massa, de banana com canela.

Fiquei exausta mas o que vale é o prazer de realizar um pedido da querida cunhada.
Soube rapidamente das notícias tristes nos EUA e no Brasil.

Manifestações anti-racismo lá.

Como disse o ator Will Smith, em 2016, ” o racismo não está piorando, ele está sendo filmado”

Por aqui, união de torcidas rivais numa manifestação pela democracia.
O confronto com apoiadores do eleito, e incitadores da volta da ditadura, resultou em violência e vandalismo em São Paulo.

Já em Brasília, a moça que usa o nome de uma apoiadora do nazismo, promoveu uma demonstração de retrocesso.
Claro que o eleito ficou todo todo, se exibiu a cavalo, distribuiu perdigotos e fez, no domingo, aquilo que já virou rotina.

Triste 🇧🇷 desgovernado.
Onde a pandemia e seus números tristes crescem cada vez mais.
Onde o PanDemônio é o próprio desleixo em forma de presidente.

Não o respeito.
Não me representa.Hoje é o dia da imprensa.
E é a imprensa um dos pilares da democracia.

Tenho muito orgulho dos meus amigos profissionais jornalistas.

Apesar de não ter me formado em jornalismo, venho construindo uma carreira “amadora profissional” desde a primeira coluna “Constelação”, no jornal de Botucatu.
De 1980 pra cá, sempre trabalhei com o público e isso me fez aguçar a observação da jornalista que habita o meu ser.

Essa oportunidade no botucatuonline, que me foi dada pelo querido amigo amado Haroldo Amaral, é uma honra.
Conheço o Haroldo desde 1981 e sou muito fã do jornalista culto e atento que ele é.
Que seu caminho seja sempre do bem, queridão!

Escrever minha opinião sobre o que observo, ter a liberdade de me manifestar e me expor sem censura, traz, na minha terceira etapa do viver, uma grande alegria e realização.

Vivas pra imprensa livre!
Vivas pra democracia!
Vivas pro povo brasileiro!

Para reflexão.
“Quando percebes que nada te falta, o mundo inteiro te pertence.”
Lao-Tsé

Resistiremos.

Seguimos.