Mário Pardini, prefeito e André Spadaro, Secretário da Saúde

LEIA TAMBÉM

RESPONSÁVEIS POR CRIANÇA ELOGIAM ATENDIMENTO DO PS INFANTIL

SECRETARIA DE SAÚDE DIZ QUE VAI APURAR DENUNCIA

Novamente começam a surgir reclamações contra médicos atrasados em Postos de Saúde na cidade. Nesta semana a avó de uma criança relatou na rede social que seu neto foi mal atendido na Unidade de Saúde da COHAB I. Essa reclamação foi divulgada na tarde desta segunda-feira, 10.
O relato diz que a criança caiu e teve ferimento com corte na cabeça.
Levada ao Centro de Saúde da COHAB I, a enfermeira fez os procedimentos de higiene e controle do sangramento no ferimento, orientando a mãe e a avó que acompanhavam o caso, a aguardar a médica para decidir sobre ponto (sutura) no ferimento e como havia inchaço, encaminhar ou não procedimentos de exames como radiografia.
“Junto com a mãe levei no Posto de Saúde da COHAB I. A enfermeira limpou o corte que sangrava e disse para esperarmos a pediatra para ver se precisaria dar pontos ou até mesmo fazer um Raio X porque estava muito inchado”, escreveu a avó.
A família ficou aguardando uma hora e dez minutos até que a médica chegasse.
Ao chegar, a médica teria reclamado com os responsáveis pelo menor sobre o procedimento da enfermeira, alegando que a profissional poderia ter feito a sutura e que tal procedimento, não seria competência da pediatra.
“Chamaram a criança e logo de cara ela foi grossa e arrogante perguntando para minha filha: por que mandaram ele (a criança) para mim? É a enfermeira que tem que fazer a sutura e não eu! Quando ouvi a grosseria dela entrei e perguntei o que estava acontecendo”, escreveu a avó.
Depois da manifestação da pediatra sobre os procedimentos de atendimento da enfermeira, a avó e filha proibiram a médica em dar continuidade ao atendimento, diante dos desencontros sobre o que seria correto ou não no atendimento.
“A médica insistiu em dizer que quem faz a sutura é a enfermeira e não ela, mas que era para descer que ela ia dar três (pontos). Minha filha ficou assustada e nervosa com a grosseria e disse pra ela que ela não iria fazer nada no meu neto”, escreveu.
Os responsáveis decidiram rejeitar a continuidade da consulta, classificado como ‘grosseiro’ no PS da COHAB I, e levaram a criança até o Pronto Socorro.
Ao sair a denunciante relatou ter ouvido a médica discutindo com as enfermeiras colegas de trabalho, dizendo que essas profissionais estariam ‘empurrando’ o serviço aos médicos e que ‘suturar’, não era atividade do pediatra.

SECRETARIA DE SAÚDE DIZ QUE VAI APURAR DENUNCIA

O Botucatuonline.com, diante de repetidas reclamações dos usuários do PS da COHAB I em relação a determinados atendimentos, encaminhou a reclamação para a Secretaria de Comunicação, que informou estar a prefeitura tomando providencias para melhorar o atendimento nas unidades de saúde e que o atendimento da última segunda-feira, (10), seria apurado e, se constatado desvio de conduta, haveria procedimento administrativo.
“A Prefeitura de Botucatu, por meio da Secretaria de Saúde, informa que tem tomado medidas para aprimorar o atendimento aos munícipes de Botucatu e garante que esse tipo de atitude não é compactuada por nenhum servidor. A partir desta denúncia, o fato será apurado e se constatado desvio de conduta, as providências administrativas serão adotadas pelo Executivo.”

RESPONSÁVEIS POR CRIANÇA ELOGIAM ATENDIMENTO DO PS INFANTIL

Um dia e uma noite de fúria no PS Infantil
Se há alguns meses chegou a ter briga com funcionários no Pronto Socorro Infantil, desta vez os responsáveis pela criança cobriram de elogios o atendimento da unidade especializada em emergência e urgência infantil.
Segundo o relato escrito na rede social – a criança foi bem atendida sendo necessário tranquilizar o pequeno paciente que já estava estressado. Os médicos avaliaram que não seria necessário dar pontos no ferimento. No procedimento anterior, na unidade de saúde do bairro, a médica iria dar três pontos.
“Ele foi atendido e muito bem por sinal. Estamos aguardando para fazer o RX. Meu parecer como avó e principalmente como ser humano: Quem trabalha com criança, seja na área que for, tem que ter acima de tudo sensibilidade e respeito…E por fim, Não precisou dar ponto! Graças a Deus, fica aqui o meu alerta, para outras mães e avós não passarem por isso!