Após uma série de reuniões e exaustiva negociação, que envolveu as secretarias estaduais de Desenvolvimento Econômico, de Saúde e de Fazenda e Planejamento, a Unesp acertou com o governo do Estado o ressarcimento dos valores correspondentes à folha de pagamento dos 644 servidores ativos que trabalham no Hospital das Clínicas de Botucatu, totalizando cerca de R$ 83 milhões anuais.
O anúncio do acordo foi feito na manhã desta quinta-feira (25) pelo reitor Sandro Roberto Valentini durante a sessão do Conselho Universitário, órgão colegiado máximo da Universidade.
Mesmo após a gestão do hospital ter sido repassada para a Secretaria de Estado da Saúde, em julho de 2010, o pagamento dos salários dos servidores seguiu sendo custeado integralmente pela Unesp, o que agora está sendo corrigido por meio desse acordo, que prevê um ressarcimento mensal para os cofres da Universidade.
Quando o Hospital das Clínicas de Botucatu se tornou uma autarquia estadual, havia 1.152 servidores ativos. Em fevereiro de 2019, esse número era 644. O ressarcimento mensal acordado já foi iniciado do ponto de vista orçamentário e aguarda-se a movimentação financeira.
“É com imensa satisfação que anuncio este acordo com o governo estadual. É fruto do esforço que vem sendo feito pela atual gestão para superarmos o deficit herdado e buscarmos a sustentabilidade orçamentária e financeira da Unesp”, afirma o reitor Sandro Valentini.
“Tudo isso está se consumando após a possibilidade de diálogo aberta pela secretária Patrícia Ellen (Desenvolvimento Econômico) e pelos secretários José Henrique Germann Ferreira (Saúde) e Milton Santos (secretário executivo da Fazenda e Planejamento), os quais têm procurado ajudar no encontro de alternativas para atenuar o desequilíbrio orçamentário e financeiro da Unesp”, diz o reitor.
De acordo com Valentini, o acordo traz uma boa perspectiva para honrar o pagamento do 13º salário de 2019 ainda no atual exercício.
“Sabemos do sofrimento que o não pagamento do 13º salário na data correta gerou em nossos servidores. Eu, pessoalmente, fiquei muito sensibilizado e agora, com esse acordo, tenho esperança de equacionar essa situação até o final desse ano”, diz o reitor da Unesp.
Esse ressarcimento entraria no Termo de Compromisso assinado entre a Unesp e o governo do Estado no primeiro trimestre, mas acabou sendo excluído pois as tratativas ainda não tinham sido concluídas e era preciso garantir a antecipação de parte da cota-parte de dezembro para poder pagar, em fevereiro, a primeira parcela do 13º salário do ano de 2018 dos servidores autárquicos –o restante será pago em maio.