“…Ouvi sua voz murmurando, são dois pra lá, dois pra cá…”
Alcir querido.

” Lembro que a Elis chegou de casaco de pele, tirou o casaco, cantou e cantou, colocou o casaco e foi embora.”
Fernando Amando, que estava comigo no show.

“Musas amadas, Nara e Elis sempre estiveram em minha vida. A último show que fui da Elis foi Falso Brilhante, no teatro Bandeirantes na Brigadeiro Luiz Antônio – muita emoção e choro – e desabei diante de Fascinação.
E amava ver a Nara cantando timidamente, sentada num banquinho com seu violão. E Wandeca, musa total da Jovem Guarda.
Delícia reviver tudo isto e ver seus apetrechos … nadadeiras, palmar!!! Uhuhll. 😘😘😘”
Raquel Astolfi, minha musa eterna.

Dormi mal, sono agitado.
Comecei a dormir gostoso já amanhecido o dia.
Aí a mamãe me acordou. Disse que eu tinha telefonado pra ela.
Ahhhhhhh, fiquei muito mal humorada, eram 8 horas.
Desliguei, me arrependi e não consegui mais dormir.
Tomei um banho pra tirar o ranço.

Céu nublado.
Café da manhã.

Notícias do Brasil no rádio.
Exigências do “ministério” da saúde (?) estão dificultando a produção de seringas pra aplicação da vacina.
Geeeennnnteeeennnn, eles ainda não se conformaram em perder pra ciência.
Que horror.

Também está havendo atraso nas negociações para recebimento de insumos, da China, e de vacinas, da Índia, graças aos comentários da familícia e a má gestão do tal Ernesto, que é o  Sinistro sem diplomacia, e do silêncio em questões importantes, pelo insano.

Minha vontade é de fingir demência, de alheiar total.

Vou visitar a mamãe e ver se consigo fazer com que tudo fique bem.

Aqui no meu bairro várias equipes trabalhando.
Roçando os terrenos públicos, podando árvores e pintando sinalização de solo.
É bacana ver tudo em ordem.
Parabéns!

Lembrei que sonhei com o papai.
Pena que não lembro o que.
Saudades.

E com o Félix!
Meo Deeeeuuuusss, que cabelo era aquele?

” Vida é sonho e sonhos, sonhos são.”
Calderón de La Barca

Mamãe estava linda, com os olhos brilhantes.
Acordou animada, me disse, e com fome, o que é ótimo.
Pedi desculpas pelo mau humor, ela disse que foi uma confusão e que está tudo bem.
Meus irmãos estiveram com ela, ontem.
E o efeito é visível.
Mamãe é apaixonada por eles.

Conversamos, rimos, brinquei com a Pretinha e fui pra Ferrô com o coração leve.

As nadadeiras, uau!
Hajam coxas!
Fiz apenas um km de crawl e tive câimbras nas panturrilhas.
Tudo bem, tudo bom.
Determinação.

Um polenguinho.

Na Anita Garibaldi, esperando o ônibus por muuuuitoooo tempo, fiquei bastante incomodada com um homem visivelmente embriagado, esmolando no meio dos carros no farol.
Essa situação de indigência/drogadição está crescendo muito.

” …Después de la tormenta siempre llega la calma…”

Em casa.
Do que engordei já perdi 1,5kg.
Pesei na mesma balança, com o mesmo tipo de roupa.
Pra comemorar: arroz, feijão, ovos fritos e salada de tomate acebolada, suco de acerola e manga na sobremesa.
Bem gostosinho.

Agenda de 1998.

O textão que encontrei ontem falava de uma conversa minha com a Mônica Gallo sobre merecermos encontrar melhores parceiros.
Como se a paixão tivesse roteiro, né?
E quantas paixões nessa agenda.
37 anos, adolescência tardia, confesso que vivi!

Em novembro fui pra Uberaba de férias.
Baladinhas com meu irmão Erik.
Compras de tecido pros modelos da homenagem pela XXXI turma da medicina e pra formatura do Diego na Industrial.

Era sempre delicioso estar com a mamãe, os avós e tia Mariza na casa da rua Vigário Silva.
Tia Julieta, owwwnnnn, querida!

Comprei chantung de seda vermelho, pro vestido, e azul claro e prata pro macacão.
Não tenho mais as peças, e nem caberia nelas.
Eu pesava 50 kg!
Só as foto da formatura do Di,

(Claro que as fotos ainda estão na varanda a espera de serem reintegradas a casa)

Mas fiquei bem linda, sem modéstia.

E a modista da família, Ursulina, arrasava!

Assim como a Joana, de pães de queijo inesquecíveis, além da broinha de fubá, huuuummmm, o cardápio dos almoços, tudo delicioso.

10/11
A homenagem foi dupla pelas companhias que tive.
Entre eles Fábio Yamaguchi, pneumologista, Carlos Rocha Jr., neurocirurgião, Ceará, da cardio tórax, Dr. Sogayar, emérito da gloriosa FCMBB.

As festas foram babado!
Dessa vez foi o Lucas quem me acompanhou e estava muito elegante, um mocinho!
Diego já havia ido da primeira vez, em 1996.

Fui dançando e pulando receber minha placa, foi bem legal, com aplausos e fiu-fiu.
Ahhhhhhh, eu não me cabia de feliz.

“Levantei já batendo palmas e dançando, pulei e gritei como cabrita e fui batendo palmas até chegar ao palco.
Na frente os alunos e a congregação me aplaudindo, sorrindo lindos.
Deinha me abraçou e me rodou, várias vezes, muitos beijos e fotos e a pose louca e risadas e beijos voando dos alunos e para os alunos.
A platéia familiar dos alunos não entendeu nada.
Foi muuuuitoooo booooommmm e fiquei muito feliz, teve até chorinho de alegria.
Olho na arquibancada e vejo Diego e Mamy, muito legal!
Meus valores, meu modelo, eu, a pessoa que habita aqui e que passa por situações afff, mas tem a vibração boa.
Esse presente me fez continuar acreditando na minha função de alegrar e divulgar, minha função humana no atendimento do PS.
A homenagem  foi um grande toque pra me equilibrar, pra eu me dar uma chance.”

Uau, senti até o cheiro desse momento.
Que gostoso voltar ao presente com o calor dessa memória me aquecendo o coração.

Muitas são as emoções que fazem o viver sempre valer a pena.
Gratidão vida linda!

Os passarinhos alvoroçados.
A chuva da tarde se anuncia.

Para reflexão.

Resisto feliz por resistir.

Seguimos.