Hoje, 9/10/2020, John Lennon completaria 80 anos.
“Há alguém que vai ouvir minha história
Sobre a garota que veio para ficar?…”
Girl
Pra homenagear, pedi, e recebi, o auxílio luxuoso do queridão, amigo amado, Mário Sérgio Castanheira, que escreveu…
“Bem, sou fã de carteirinha do John…dos Beatles é o meu preferido. Já li duas biografias dele e acho admirável a trajetória dele e depois dos Beatles. Rebelde, desenhista, poeta, músico, irônico. Todas características e habilidades que me atraem. Sua carreira solo é linda…com músicas de contestação, românticas, lúdicas…para mim o melhor. VIVA JOHN LENNON..

Vale um esclarecimento: na fase Beatles ele foi intérprete das músicas que foram sempre atribuídas à Lennon e McCartney.
No disco Rock’n Roll as interpretações são covers dos anos 50 e 60.
Stand By Me: Jerry Leiber, Mike Stoller e Ben E. King.
Sweet Little Sixteen: Chuck Berry…
Valeu.”
E tem a playlist organizada por ele, também.
Ouçam, ouçam, ouçam!
Lindo dimaaaiiiisss.

Sou tomada pelo John desde criança.
O fusquinha da tia Teca, suas amigas, Jovem Guarda e The Beatles pelas ruas de Uberaba, nos verões da minha infância.
“Vamos (vamos)
Faça-me feliz como eu te faço…”
Please please me
Minha tia era moderna, usava uns vestidos, pulseiras, cabelos e maquiagem, uau!
Elas eram as cocadinhas do Netinho, o Guaritá, colunista do jornal  “Lavoura & Comércio”.
Era um jornal diário, disputado por todos pra leitura, nas casas da família, e na calçada em frente a livraria, na rua Vigário Silva.
“Você nunca saberá o quanto eu realmente me importo
Ouça, você quer saber um segredo?
Você promete não contar?
Uau-oh-oh, mais perto
Deixe-me sussurrar em seu ouvido
Diga as palavras que você deseja ouvir…”
Do you want to know a secret
Voltando a música.
Revólver, dos Beatles, foi o primeiro disco que meu pai me deu. Junto com outro, do Chico com a Bethânia, aquele do “olá, como vai…”, divino!
Carreguei Revólver na minha vida até ele se perder nos desvãos do tempo.

“Ah…olhe para todas as pessoas solitárias…, de onde elas vem? A que lugar elas pertencem?…”
Pra acordar, transcrevi o áudio que recebi.
Dani Lima sonhou conosco.
“Oie, eu tive um sonho com você essa noite, muito louco. Parecia que era ali na subida da Ana Picinin. Você subiu toda toda, com um casaco tão lindo, e com um moço atrás.
Eu falei, nossa! Que mulher elegante. Uma pessoa falou, é a escritora Andrea Morato.
Só não sei qual dos seus filhos era, o moço.
Você estava cabeluda e diferente. Vocês subiram a escadinha do Barduco, ali em frente. Depois a gente estava numa Van, eu, você e um monte de gente, era uma festa… você fica escrevendo, eu leio e fico viajando…”
Eu amei isso, lindona 😘.
All you need is love foi meu lema adolescente.
“Não há nada que você possa fazer
Que não possa ser feito
Ninguém que você possa salvar que não possa ser salvo
Nada que você possa fazer
Mas você pode aprender a estar no tempo certo
É fácil
Tudo que você precisa é de amor…”
All you need is love é meu lema amadurescente.
Tive Strawberry Fields Forever e Lucy in The Sky em camisetas.
Desfilava linda, me sentindo pós tudo: a que não foi pra Woodstock, nunca assistiu Beatles ao vivo, mas amava e era pop.
“…Viver é fácil com os olhos fechados
Confundindo tudo o que você vê
Está ficando difícil ser alguém
Mas tudo vai dar certo…”
Strawberry Fields Forever
The Beatles, o melhor do pop!
Eles já tinham se separado, mas sonho nunca acabou.
Fizeram carreira solo lindas, todos eles.
“Se o Sol tiver desaparecido
Eu farei ele brilhar
Não existe nada que eu não faça…”
Any Time at all
Me apaixonei pelo George Harrison pra sempre.
Dark Horse.
My Sweet Lord.
Whike my guittar

Mas foi o John Lennon quem, de fato, me pegou.
Junto com a Yoko, suas falas, músicas, manifestações.
” Dêem uma chance a paz.”
“Imagine que não existem países
Não é difícil fazê-lo.
Nada pelo que matar ou morrer
Tampouco religiões.
Imagine todos os povos
Vivendo em paz
Você até pode dizer que sou um sonhador.
Mas não sou o único.
Espero que algum dia você se junte a nós
E o mundo, então, será como um só.
Imagine que não existem posses.
Eu me pergunto se você consegue
Não precisar de ganância ou fome
Uma fraternidade humana
Imagine todos os povos
Partilhando o mundo.”
Imagine
Tãotão atual!
Eu mal entendi o Vietnã e descobri a ditadura.
O movimento era intenso.
E, assim, começo essa sexta-feira especial, comemorativa, fresquinha pós chuva.
Faminta, pizza enrolada e café.
Comecei as organizações pra viagem.
Vou encontrar a mamãe no centro.
Felizfeliz!
“Mas é exatamente esse o problema em ser sincero. A gente tenta falar com sinceridade. Embora tenhamos que ser falsos às vezes porque a coisa toda é falsa, de uma certa forma, como um jogo. Mas você espera que, se alguma vez você for sincero com alguém, essa pessoa pare com as reações plásticas e seja sincera com você. Só que todos estão jogando o jogo, e algumas vezes fico nu e sincero, com todos me mordendo. É decepcionante.”
John Lennon
Fui bloqueada por duas pessoas em uma semana.
A primeira porque eu estava com sono e me manifestei, na minha casa.
A segunda porque o plástico da igreja estava fazendo barulho e ela se ofendeu, por se sentir A Igreja ou O Plástico, não cheguei a uma conclusão ainda.
Sou sincericídia.
Em casa.
Minha primeira coluna ” Constelação” , no jornal de Botucatu, foi publicada um mês depois da morte do John, em 8 de dezembro de 1980, aos 39 anos.
Escrevi sobre.
Foi muito impactante, foi triste e foi muito cruel.
E estou aqui em minha casa, curtindo mais uma vez a playlist do Mário, enquanto acabo de organizar tudo pra ir pro Guarujá.

Meu filho Lucas também está participando, ahhhhhhh, como adoro!
“Conheci os Beatles aos 12-13 anos, através dos discos da minha mãe, e foi amor à primeira vista.
Vieram então os cds, os dvds sobre o grupo e a tentativa de tocar “I want to hold your hands” na flauta.
No alistamento no tiro de guerra eu estava com um livro com as letras deles e um dicionário, traduzindo HELP enquanto jurava a bandeira.
O John Lennon me ajudou a fazer a minha própria Revolution, e ver ele vivendo a vida tão intensamente com certeza me inspirou a fazer o mesmo com a minha.
A minha música é Help com certeza.”

E então, qual é a música do John Lennon eu quero colocar nessa homenagem?
Ahhhh…

Foi muito bom esse momento John, esse momento música do pra sempre.
São emoções de todos os tempos e memórias.
Estou muito feliz.
Para reflexão.
“O amor não tem fronteira
O ar não tem fronteira.
O rio não tem fronteira.
O mar não tem fronteira.
O cosmo não tem fronteira.
O sonho não tem fronteira…”
Salve John Lennon!
Resistir, resistir, resistir.
Seguimos.